Ultimo modelo do ano (2011) Martin 139 WH-3 ML-KNIL 1/100 scale

Bem para completar meu 33º kit do ano de 2011 e também o último do corrente, vamos com um modelo bastante esotérico.

Graças a paciência e um conhecimento mínimo da utilização de programas gráficos, meu apelido (Scracth Joe) está voltando a fazer justiça a minha atividade modelística , pois dessa vez apresento aos amigos, não apenas um repaint digital, usando o Photoshop e o Corel Draw, mas também uma conversão.

Fiquei em silêncio em relação a essa montagem pois tinha o medo de alguns pontos dela podessem dar errado e comprometer todo o projeto. E ficar um tópico morto, mas como deu certo, vamos a mostra.  :mrgreen:  😆  :mrgreen:

O avião:

Durante os anos de 1930 a tecnologia aeronáutica progrediu rapidamente, surgindo como nos sabemos os monoplanos de revestimento metálico e cantilever com trem de pouso retrátil. Curiosamente essa nova tecnologia foi empregada inicialmente na aviação comercial e nos bombardeiros, para depois ser utilizada em desenhos de avião de caça.

Um dos primeiros bombardeiros a utilizar essa moderna tecnologia foi o Martin B-10 encomendado pelo USAAC em 1932 e tendo entrado em serviço em 1935, ao tempo da sua introdução era um dos mais modernos bombardeiros táticos do Mundo, muito mais rápido que diversos caças biplanos contempôraneos. O B-10 ficou em serviço nos EUA até 1941, embora não tenha sido utilizado em combate pelas cores do USAAC.


O desempenho do B-10 chamou a atenção do mercado mundial, sendo que vários foram exportados para Argentina, China, Holanda, Turquia e Tailandia.


As máquinas chinesas foram usadas em combate contra os japoneses, assim como as Holandesas, e as máquinas tailandesas foram usadas contra os Franceses de Vichy. Essas versões eram conhecidas como Martin 139W.

O Real Corpo Aéreo do Exército das Indias Orientais Holandesas  – Militaire Luchtvaart van het Koninklijk Nederlands-Indisch Leger, ML-KNIL foi de longe o maior operador do Martin 139, tendo em seu inventário ao tempo da invasão japonesa em Sumatra, mais de 116 exemplares das versões WH-2 e WH-3 (também chamado de Martin 166), este último caracterizado por ter uma longa cabine de vidro ao invès de ter os dois cockpits separados. Ambas as versões foram utilizadas galantemente pelos holandeses contra posições japonesas quando da invasão da Indonésia, sendo totalmente inadequados por conta da lentidão e do fraco armamento ofensivo e defensivo sendo muitos abatidos. Com a derrota do ML-KNIL, muitos exemplares foram capturados pelos japoneses, sendo alguns repassados aos Tailandeses, que os operaram até 1950!

O meu modelo representa um exemplar do Martin 139WH-3 (ou 166) do ML-KNIL. Foi convertido em cima do modelo básico da Fiddlers Green do Martin B-10, além da repintura feita no Photoshop e no Corel, desenhei a mão o canopy, que depois foi scaneado e vetorizado no Corel Draw, os cubos das hélices foram sculpidos com cedrinho e pintados e os cabos das antenas feitos com elastricô e posteriomente pintados com tinta acrílica.


Este projeto foi todo construido em mais ou menos dez dias. (A repintura e o canopy haviam sido feitos antes).

E claro as divertidas comparações que adoro fazer quando monto 1/100 :)


Com o P-26, são contemporâneos…


Na palma da mão…


Com o bisturi…


E com a moeda de R$ 0,25… 😉

Bem amigos por aqui ficamos iniciando um novo ciclo de montagens em 2012, em breve novos projetos para apreciação de vocês.

Retrospectiva Modelista 2011

Feliz Ano Novo!

 

Como de praxe, apresento para voces a retrospectiva modelista de 2011, com tudo que montei nesse ano que acabou, voces podem dar uma olhada no Taller del Peres a seção correspondente. Que este ano seja de um maior número de montagens 😉