Catálogo Corrente – Repaints (Venda Exclusiva ecardmodels.com)

Nesta página vocês encontram o meu catálogo de modelos para venda na loja virtual Ecardmodels.com com os respectivos hyperlinks de venda. Boas compras :) !

Models by Marek

Apresentamos em primeira mão o treinador/caça Nieuport 21E1 nas cores da Aviação Militar do Exército Brasileiro.  Os Nie 21 chegaram ao Brasil por recomendação da missão militar francesa em 1920, num total de 20 máquinas. Todas ficaram baseadas no Campo dos Afonsos na Escola de Aviação Militar. Por ocasião da eclosão da revolução de 1924 em São Paulo, todos foram deslocados para Mogi das Cruzes para combater os revoltosos. Sendo realizadas durante esse conflito 21 sortidas de ataque, reconhecimento, ligação e bombardeiro. O Nie 21 era uma versão de treinamento com motor Le Rohne de baixa potência (80 Hp) do caça Nieuport 17, era conhecido na Av. Militar como “Nieuport 15 Metros” por causa da área alar. Uma réplica desse avião com componentes originais compõem o acervo do Museu Aeroespacial (MUSAL).

Compre aqui.

 

O Boeing P-26 e a sua respectiva versão de exportação, o Model 281, representa um anacronismo dentre a nova safra de aviões militares que estavam surgindo nos anos 30.  Principalmente por ser um monoplano com asas tensionadas através de cabos de aço e pelo trem de pouso fixo. Foi até o surgimento de caças como o P-36 e o P-35 nos EUA o único avião de caça “moderno” do USAAC. Apesar de manobrável e adorado pelos seus pilotos (que o apelidaram de “peashooter” – disparador de ervilhas), em combate o P-26, não teve grande êxito, sendo  utilizado pelos Chineses no seu longo conflito com os Japoneses na segunda metade da década de 30 e pelo Corpo Aéreo do Exercito Filipino em 1941 contra os caças da Marinha Imperial Japonesa. Este modelo foi repintado em duas versões:  Uma guatemalteca, o único usuário  na América Latina desse avião e a outra nas cores da Força Aérea Chinesa Nacionalista.

 

 

 

O modelo Guatemalteco pode ser adquirido aqui

O modelo chinês pode ser adquirido aqui

 

 

 

O Consolidated Vultee PBY Catalina, foi talvez um dos mais importantes hidroaviões já construído em toda a história, projetado para uma especificação de 1935 da Marinha Norte-Americana para um avião de patrulha que pudesse substituir diversos aerobotes em serviço da US Navy, o Catalina, desde o início de sua carreira operacional revelou-se perfeito para a sua missão. Milhares foram construídos, principalmente no período da II Guerra Mundial, e fora utilizados por todas as nações aliadas nas mais variadas missões: bombardeiro, patrulha, ASW, MEDEVAC, missões clandestinas, SAR, transporte. Os Catalinas fora muito populares no pós guerra sendo utilizados por muitas força aéreas e operadores comerciais ao redor do Mundo nos anos 50 e 60 e até mesmo nos anos 70. Muitos ainda voam em shows de Warbirds especialmente na América do Norte e Europa, fato esse muito por conta da sua resistente e robusta estrutura de metal. O  Catalina que o Péricles Papermodel Studio apresenta é famoso “Arará”, um PBY-5 (a última versão produzida na forma de aerobote, sem trem de pouso retrátil) pertencente a FAB que atacou e afundou o submarino (U-Boote) alemão U-199 no litoral do Rio de Janeiro em 1943, que tantas vítimas fez afundando diversos navios mercantes ao longo da costa sul do Brasil. Após o feito o avião foi batizado pelas autoridades Brasileiras em grande cerimônia cívica, de Arará, o nome de um dos navios mercantes torpedeados pelo submarino U-199.

Este histórico modelo pode ser adquirido aqui.

 

O Mikoyan Gurevich MiG-15 (codinome da OTAN “Fagot”), foi um dos mais importantes aviões de combate da história. Produzido em massa nos primeiros estágios da Guerra Fria, na URSS, China, Polônia e Tchecoeslováquia, esse caça era superior em diversos aspectos às suas contra-partes ocidentais (notadamente o F-86 Sabre americano), Foi amplamente utilizado na Guerra da Coréia  (1950 – 1953) e em diversos outros conflitos entre as décadas de 50 e 60 ao redor do globo em países simpatizantes ou sob a influência de Moscou. A simplicidade do design do Fagot, aliado a baixa manutenção fizeram este avião ficar por longos anos em serviço, sendo que a versões de treinamento (UTI) ficassem em uso em diversos países até os anos 90.

MiG-15Bis #4115 – Regimento Desconhecido da Força Aérea da República Popular da China – Guerra da Coréia 1953. O modelo pode ser adquirido aqui

 

MiG – 15 Bis da Força Aérea da Coréia do Norte (avião não pilotado por chineses ou soviéticos). Foi abatido pelo Capitão Manuel “Pete” Fernandez no início de 1953. Este modelo pode ser adquirido aqui.


MiG-15 bis #758 pilotado pelo capitão P.S. Milaushkin do 176 IAP, 324 IAD, baseado em Autung (Coréia do Norte) em 1952. Este modelo pode ser adquirido aqui.


MiG-15 bis “Red Nose” “Blue #686″ , pilotado pelo CO S. M. Kramarenko comandante do 2º Esquadrão Especial, Coréia do Norte  1951. Este modelo pode ser adquirido aqui.

 

MiG-15 Bis “Red Nose” “Blue 925′ Pilotado pelo Coronel E. G. Pepelyayev. Comandante do 196º IAP , 324º IAD , 64º IAK. Base aérea de Autung. Coréia do Norte, 1951. Este modelo pode ser adquirido aqui.


O Voisin III foi o principal avião militar francês durante os primeiros anos da 1ª Guerra Mundial, o seu aspecto de “brinquedo”, contratava com a sua utilidade, pois as suas diferentes versões foram utilizadas para reconhecimento, bombardeiro, ataque ao solo (a versão LA era equipada com um pequeno canhão Hotchkiss de 20 mm) e caça. Produzido em uma época anterior ao uso de sincronização nas metralhadoras, o projeto tinha motorização propulsora e não tratora (como acontecia com muitos modelos da Triplíce Entente, notadamente, ingleses, como o Airco DH 2, o Gunbus o Fe 8 entre outros. Os Voisin foram utilizados por muitas nações, o exemplar repintado pelo Péricles Papermodel Studio representa um Voisin fabricado sob licença na Fábrica DUKWS em São Petesburgo que com a caída da monarquia russa, foi utilizado pelos Bolcheviques na Guerra Civil de 1919.

Compre aqui.


O Bleriot SPAD S-61. é um obscuro avião de caça francês produzido no início da década de 1930. Foi um dos últimos desenhos de Andre Herbmont, que neste modelo em especial abandonou o desenho não convencional presente no S 51 de ter asas com um leve enflechamento. O S-61 foi rejeitado pela força aérea francesa, mas obteve encomendas da Pôlonia e da Romenia, que o utilizaram em grande número nas suas Forças Aéreas.  Sendo que os poloneses  produziram esse avião sob licença localmente. Porém  o grande motor Lorraine Dietrich 12 era propenso a todo o tipo de problemas mecânicos e a mais crônica falha do S61 era a fraqueza estrutural das asas e dos montantes, o que levou a prematura aposentadoria do S61 na Polônia. Pouco se conhece dos detalhes operativos desse avião na Real Força Aérea Romena. O S61 foi utilizado também para testes, em corridas aéreas e quebras de recordes de vôo.

 

O S61 que o Péricles Papermodel Studio repintou  representa um Bleriot SPAD S 61 da Real Força Aérea Romena. O modelo pode ser adquirido aqui.

Lad N Dad

 

O Fairey IIID foi um importante avião naval do período entre-guerras, produzido na Inglaterra entre a década de 20 e o início do anos 30. Sendo utilizado por muitas marinhas e  forças aéreas. Um dos mais famosos exemplares do IIID é o “Santa Cruz”, um dos três aviões Fairey, empregados por Gago Coutinho e Sacadura Cabral, no histórico vôo de travessia do Atlântico Sul de Portugal para o Brasil em 1922. Este modelo do Péricles Paper Model Stúdio, está repintado justamente nas cores do Fairey IIID Nº 17 “Santa Cruz”, que fez a parte final do trajeto da viagem, de Fernando de Noronha ao Rio de Janeiro.

Este histórico e importante modelo, pode ser adquirido aqui!

 

O Miles Falcon, foi um dos muitos monoplanos privados produzidos nos anos 30 na Inglaterra. Todos os projetos Miles, tinham caracteríticas gerais semelhantes: Monoplano asa baixa, com trem de pouso fixo recoberto por elegantes polainas ao melhor estilo art-deco. O exemplar que o Péricles Paper Model Studio repintou, representa, um espécime incomum do Falco, nas cores da F.A. Republicana durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939). Para adquirir esse modelo clique aqui.


Thaipaperwork

 

O Mikoyan Gurevich MiG-21 (Codinome da Otan “Fishbed”) foi um dos mais importantes aviões de combate produzidos entre o final dos anos 50 e os anos 80 do século XX, seguramente sendo o avião de combate  mais produzido numéricamente após a II Guerra Mundial. Testado em combate em diversos conflitos e guerras locais ao longo da Guerra Fria, o desenho básico constituído nos anos 50 foi sofrendo progressivas modernizações, e mudanças de perfil ao longo dos anos. A produção chinesa desse avião feita sem licença ainda produziu uma família nova a Chendgu J-7, baseada no MiG-21 e ainda em produção.

 

O Avia S-106 é uma versão local produzida pelos Tchecos do MiG-21F-13, nos anos 60. diferenciava-se dos exemplares soviéticos de produção pelo canopy sem transparência atrás do assento ejetor e outros pequenos detalhes. Uma parte da produção foi exportada para países do Oriente Médio e outros simpatizantes ou alinhados ao Pacto de Varsóvia durante a guerra fria. Este modelo pode ser adquirido aqui.

 

 

 

Cuba logo após a revolução de 1959, procurou automaticamente o apoio da União Soviética, esse cristalizou-se em apoio financeiro e militar  em troca de açúcar e a utilização de bases militares no arquipélago cubano. Um dos fatores que acabou levando a crise dos mísseis foi a implementação de dois regimentos de caças MiG-21F que além de oferecer uma defesa aérea eficiente poderiam atacar os EUA mais profundamente. Para adquirir esse ícone da Guerra Fria clique aqui.

 

De 1940 à 1943 O Grumman F4F Wildcat, foi o mais importante avião de caça da aviação naval embarcada dos Estados Unidos. O F4F, surgiu como o primeiro caça monoplano da Grumman, tradicional empresa fornecedora de aviões para a marinha norte-americana. Os Wildcats foram usados em quase todos os teatros de operações em que os aliados ocidentais estiveram envolvidos durante a II Guerra Mundial, utilizado pela Marinha Real Britânica (com o nome Martlet) , pela Marinha dos EUA e pelos Fuzileiros nos primeiros estágios da Guerra do Pacífico, era suplantado pelos Zeros da Marinha Japonesa em  características acrobáticas, porém os caças da Grumman eram melhor protegidos e logo os americanos inventaram táticas para combater os japoneses, explorando o armamento mais pesado e a razão de mergulho do rombudo caça. Os Wildcats terminaram no fim da guerra como caças-bombardeiro sendo amplamente utilizados no Atlântico para caçar submarinos alemães.

O Péricles Paper Model Stúdio repintou o clássico kit do Nobi em sets de três aeronaves. O primeiro set está focado nos Wildcats anteriores a entrada dos Estados Unidos na Guerra…

Grumman F4F-3 da VMF-111 NAS Quantico 1941. Esse avião estava envolvido nos “War Games” da Louisiana, a última grande manobra dos EUA antes do ataque a Pearl Harbor…

 

Grumman F4F-3 Wildcat da VF-41 “Red Rippers” a bordo do USS Ranger CV-4 em 1940…

 

 

Grumman F4F-3 Wildcat da VF-7 a bordo do USS Wasp, provisoriamente estabelecido em Guantanamo, Cuba em 1940.

 

 

Esses modelos com essas pinturas de pré guerra podem ser adquiridos aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>