Um Triste Epílogo – The Dream is Over…

Ontem e hoje está acontecendo no GPA, o encontro de fim de ano da IPMS Porto Alegre, este encontro marca o fim da gestão dos Canhoneiros a frente dessa associação. Apesar de 5 longos e árduos anos de dedicação de muitos dos meus confrades nesse projeto, (participei ativamente da fundação e dos primeiros dois anos da associação) o sabor da saída é de derrota sobre determinados aspectos. Infelizmente a saída da gestão do presidente Edu Osório e outros camaradas é marcada por muita confusão, fofocas e intrigas. E no apagar das luzes no ataque às vias de fato por parte de um sócio insatisfeito com os resultados do processo de saída contra um dos intregrantes do CCCP.

Acho que mais de uma vez me posicionei a respeito do que acho sobre a IPMS, e mais que isso o que acho sobre o “naipe” de alguns modelistas da cena porto-alegrense.  É verdade  que  pela IPMS enquanto sistema associativo de representação, ser democrático na sua admissão, acaba permitindo a entrada tanto de gente boa, quanto de uma cambada de FDP, isso é um fato inegável.  Porém a internet, e basicamente o fórum da IPMS Porto Alegre, se transformou, não apenas na guarida para alguns manifestarem as suas patologias psicológicas inerentes às frustrações de seus alter-egos, mas também para os “machões de teclado” aos poucos corromperem os mais nobres ideais pelos quais a IPMS foi fundada na Inglaterra na metade dos anos 60: que são a mutuo-ajuda, a união, a troca de conhecimento e técnicas, e a representação de classe.

Certa vez escrevi no fórum da IPMS-POA numa dessas brigalhadas virtuais desnecessárias, um resgate e uma definição histórica sobre a IPMS que ainda acho aplicável, por isso resolvi transcrever para cá:  “alguns não entendem bem o verdadeiro significado da IPMS. Nesse mundo de farta e rápida transformação em que tudo é fugaz a IPMS também está mudando de significado e até mesmo de função. Acho que vale a lição de história que vou escrever aqui: Na era pré internet e antes disso, ela servia basicamente como uma fonte de informação, existiam os Quaterly que eram jornais (eu tenho vários aqui) desenhados alguns a mão com esquemas de cores, artigos de conversão, scratchs, esses jornalecos com modelismo “old School” eram mandados pelo correio para todos os cantos do mundo sendo mais famosos os IPMS USA e UK, a subscrição financiava os clubes, exposições e até mesmo convenções. Nessa época as comunicações eram difíceis tudo era feito  basicamente pelo correio a moda antiga. A popularização do hobbie no Mundo nos anos 70 e 80 fez a IPMS se transformar nos já citados Branchs que são organizações locais perdendo o antigo núcleo central, que nos EUA era em São Francisco, esse é o modelo que utilizamos no Brasil hoje:  descentralizado.

Esse carater representativo e de sociedade civil era chique nos anos 70 e 80, mas hoje em dia,  essa antiga IPMS que servia para reconhecer os modelistas e trocar informações perdeu sentido, a internet a solapou, com os nossos queridos fóruns e milhares de páginas sobre assuntos ad infinitum que vão desde  e sobre a rebinboca da parafuseta do IAR 81 até as cores das cuecas dos soldados japoneses na WWII. Então o que isso tem a ver com o que comecei a escrever?

Tudo, por que a IPMS no mundo está mudando o seu papel, deixou de ser uma sociedade de modelistas uniformes, valoriza as individualidades e as particularidades de seus membros. Há 20 anos atrás era uma dificuldade conseguir um kit e mais ainda informações sobre o que iria ser representado, hoje em dia o conhecimento está aí para ser desfrutado para se explorar as individualidades dos modelistas. Por isso existem os SIG. E lá fora as pessoas se aproximam por afinidade, e se comprometem com os encontros e convenções as IPMS se transformaram não em sociedades mas em comunidades…”

No fórum nessa ocasião escrevi, que o projeto iria por água abaixo por conta desse povo que usava o fórum para descarregar as frustrações da vida.  Se armaram eleições, já que o coletivo do CCCP optou por reforçar aquilo que importa em qualquer hobby:  diversão e amizade, foram feitas duas chapas, justamente por facções dos machões de teclado (e também compostas de gente boa desesperada, por ver tudo desmoronar por conta dos fatos expostos) e mesmo assim, nem no processo eleitoral, esses tão distintos sócios não se seguraram e trataram por tumultuar o processo, sendo que uma das chapas acabou por retirar a sua candidatura, deixando o pleito e transformando a eleição numa aclamação da chapa “sobrevivente”.

Os fatos por trás  deste desfecho são perturbadores na minha humilde opinião. Em uma das chapas tínhamos até um lojista, o que é moralmente questionável fazer parte da direção de uma associação de modelistas, de outro a composição de ambas as chapas apareciam, oportunistas, aventureiros, pessoas que caíram de para-quedas no processo e viram na crise a oportunidade de se afirmarem a base da lei do menor-esforço. O estopim da contenda toda se construiu na 1ª Mostra Canoense de Modelismo, promovida basicamente por certa loja de modelismo com o apoio local dos modelistas dessa cidade. No pool de patrocinadores do dito evento aparecia o apoio de certo vereador do município.

A partir do fato, certo membro da IPMS questionou em público dentro do Fórum a uma das chapas se buscariam apoio junto a políticos e isso foi o suficiente para gerar uma guerra aberta a partir de emails (novamente os machões de teclado se manifestando). Agora o fato verdadeiro dentro dessa merda toda, é que o Evento em Canoas, estava servindo como plataforma política para a “eleição”, membros de uma das chapas, tomaram partido dizendo que havia uma confusão entre o evento que foi promovido por entes de fora da IPMS-POA e a própria atuação da associação que era uma das patrocinadoras, é verdade que o evento não era da IPMS, porém como a maioria de uma das chapas estava organizando a mostra, como não pensar em favorecimentos ao lojista, ou mesmo a políticos e outros entes desse tipo no sentido de viabilizar ou facilitar o acesso a estruturas para a realização de eventos, se estes tivessem tomado posse da direção da IPMS???

No fim este conflito por emails que culminou na saída de um dos administradores do fórum e membro  ativo da IPMS, sob a acusação de quebra de privacidade de MP’s acabou deixando o processo de transição mais complicado do que já estava, pois ante a pressão dos fatos, uma das chapas se retirou sem muitas explicações, como havia dito antes e a uma parte da antiga Administração objetivou-se em deixar imediatamente as suas funções de manutenção do fórum, já iniciando o processo de transição.

Não vou ficar aqui gastando os dedos defendendo o Canhoneiro que administrava o fórum e recebeu essa acusação, pois ela é descabida por demais, e apenas serviu como linha de fumaça para dispersar  os reais motivos  dos que o acusaram e se  viram acuados diante dos fatos.  A verdade é que os administradores de qualquer fórum tem acesso à MP’s justamente para administrar e MODERAR,  se não fosse assim, teriámos gente se prometendo por mensagem privada, propagando pedofilia, neo-nazismo e outras merdas virtuais, para todos os membros do fórum, a política de privacidade e sigilo postal legal que pode ser aplicada ao email, não pode ser aplicada nesses casos e em demais redes sociais, por que você assina um termo ou contrato de adesão em que esse pressuposto existe e faz parte do sistema e você concorda com ele.

Dito isso tudo, volto ao dia de ontem,  realizávamos a reunião/churrasco do CCCP, concomitante ao evento da IPMS quando dois membros da nossa Confraria foram agredidos as raias da via de fato por um dos membros da chapa demissionária do pleito, por se sentir prejudicado à luz de todos os fatos expostos nesse texto. Esta não é a posição de um diretor de uma associação, no fim penso que toda essa merdança no ventilador, pelo menos serviu para não colocar esse tipo de gente na direção da IPMS,  a comunidade modelística ganhou com isso.

Nem vou falar sobre os modelos e a mostra em si por que mal entrei para ver, e confesso não tive nenhuma vontade de ver nada.  Esses fatos e outros que se acumulam ao longo dos anos me fizeram perceber que realmente, a comunidade de modelistas que importa,  são aqueles que te são próximos e que tens afinidades, amizade e se comunica à moda antiga.  Esses fatos e práticas fundamentais , se perderam há muito na IPMS-POA, e não são ao meu ver, mais encontrados  lá.

Por isso em breve devo me desfiliar da associação e solicitar a remoção das minhas galerias e artigos. O que os olhos não vem o coração não sente…

Para mim, o sonho acabou…

Para quem quiser mais sobre o que é a IPMS

http://www.ipmsusa.org/

Os comentários estão encerrados.