Pirataria, Deselegância e a Dificil Arte de Conviver com as Comunidades Modelisticas Virtuais

Fazia tempo que não escrevia um artigo de opinião aqui no blog, em geral faço isso quando tenho que por algo para fora, algo que está me incomodando.

Como eu havia falado no post sobre o falecimento do Zé Reis, o meu amigo foi expulso de uma certa comunidade virtual por discordar de dois pontos: pirataria de papercraft e processos de arbitrariedade e anti-democráticos.

Eu participava dessa mesma comunidade, e vi a maneira como foi feito esse processo de “saída” do meu amigo. Pois agora do falecimento dele, foi publicada uma nota falando sobre a sua morte e com as pessoas demonstrando pesar pelo fato neste mesmo local. A hipocrisia coletiva me incomoda, por mais que as intenções e os pesares de alguns sejam legítimos e verdadeiros. No entanto denunciei essa situação no referido tópico desse fórum, e o que tive de resposta de volta foi a fala do dono e de seu lugar tenente que não foi bem assim, que a pessoa do meu finado amigo se voltou xingando as pessoas, que estavam participando na conversa, pois estavam postando modelos piratas em um tópico onde ele estava postando modelos gratuitos de navios para download. Não foi nada disso, o que de fato aconteceu, é que o Zé Reis se botou contra o moderador (ditador) e esse tratou de escrotamente o chutar da comunidade. Na minha resposta os amigos donos da comunidade se incomodaram e até sugeriram fechar o tópico, mais que isso ainda sugeriram que a doença de Zé Reis tinha atingindo o cerébro, por isso do seu comportamento agressivo.

Diante de tão escrota, desrespeitosa e vil resposta, tratei de cair fora desse lugar, é uma pena,  mas tem determinadas coisas que a gente não tem que aturar.  To velho demais para ficar batendo boca com machão de teclado, não tenho mais paciência com esse tipo de idiota, então prefiro me retirar de cena.

Como é difícil lidar com essas comunidades de modelistas no Brasil! Penso que os modelistas não importando muito o lugar do Mundo são todos uns loucos (me incluo nessa trupe), mas penso também que no Brasil o cenário é mais degenerado. Me entristece em ver como o hobby sociopatiza algumas pessoas. Algo que deveria ser construido para servir de socialização, conhecimento, auto-conhecimento, serve no final como desvio de conduta e retro-alimentação de vários transtornos.

A internet e o hobby são uma combinação muito ruim sobre esse ponto de vista, pois o anonimato eletrônico e a impessoalidade, gera um falso poder, em cima de questões que na vida real são absolutamente inúteis e sem sentido. Apenas os afetados conseguem se afetar com esse “poderzinho” que emana de fóruns e comunidades…

O hobby é uma atividade solitária. A vaidade do modelista deveria estar em mostrar os seus modelos prontos para os outros, na perspectiva e esperança de ter os seus objetivos construídos, me incomoda ver os vaidosos que sonegam conhecimento e elitizam o hobby, pisam nos outros criam uma imagem virtual de “Adolf Galland”, mas no mundo real são uns infelizes com vidas pequenas e mesquinhas. É o mal de Sir parafraseando o amigo Joca.

A brigalhada e a minha saída desse fórum, também se motiva pela apologia a pirataria no papercraft. Esse é um grande problema desse hobby, tão sério que já provocou grandes conflitos no meio à nivel internacional, ele por si só vale um artigo.

Quando começei com o papelmodelismo, além de montar os modelos free (em geral do gênero sci-fi), montei também alguns modelos piratas, mas só depois é que me dei conta do dano que a pirataria, por menor que seja o ato (montar um modelo pirata)  provoca no meio, a pirataria do papercraft é diferenciada em relações a outros produtos, por que assim como existe a grande industria do segmento, existem também os designers independentes, o processo de criação de um modelo de papel não é caro e sofisticado como a matriz de um kit plástico, onde somente com processos industriais complexos ela poderia ser copiada por engenharia reversa.

A interação entre fabricantes, designers e modelistas, pessoalizam a pirataria, provocando em alguns casos um verdadeiro rompimento de relações que ultrapassa a questão comercial e industrial, se instalando ao nível das relações pessoais, criando as vezes um binômio perverso: desistimulo do designer = sem novos modelos.

Esse binômio e a pirataria afeta principalmente os entusiastas, que tem prazer em lançar modelos gratuitos na internet. O prazer de um designer é ver os outros em todos os cantos do Mundo montando o seu modelo e mostrando pronto.

Isso é uma coisa que as pessoas da referida comunidade (fórum) não querem e não fazem muita questão de compreender, alguns reduzem  a nossa pobreza material e a falta de um mercado interno a justificativa da pirataria, o Zé Reis argumentou apenas que a pirataria no papercraft é um mal mundial, ela se diferencia do ilicito em outros produtos, mas isso, aquelas bestas do forunzinho não quiseram entender…

2 Responses to Pirataria, Deselegância e a Dificil Arte de Conviver com as Comunidades Modelisticas Virtuais

  1. Guima diz:

    Na minha humilde opinião, alguns indivíduos fazem do hobby a sua “raison d’etrê” e isso é catastrófico. Se a pessoa deixar de dar atenção aos familiares, deixar de sair com os amigos, para ficar todo e qualquer tempo que lhe sobra sobre seus modelos, é hora de procurar ajuda médica.

    • Peres diz:

      Pois então Guima! Também acho. O que mais me admira nesses sociopatas em geral éa desconexão com a realidade, acabam achando que o tudo se resume ao modelismo, se fecham para tudo e culpam os outros, mas na verdade a mania pelo modelismo é que a culpada, realmente é uma roda viva tormentosa. Chego cada vez mais a conclusão que quero distância dessa gente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>