Uma Breve História Sobre “Herramientas e Algunos Materiales”

Em qualquer hobby, que envolva manualidade, muito do êxito da execução do trabalho tem a ver com a correta aplicabilidade das ferramentas. No plastimodelismo por exemplo, existe uma panóplia imensa de instrumentos especializados para  realizar os mais variados tipos de trabalhos.

No papel modelismo, o número de ferramentas utilizadas na execução do hobby é bem menor, o que não quer dizer que algumas não sejam sofisticadas.

É verdade que para construir um modelo de papel de nível básico ou intermediário, basta o clássico: estilete, tesoura, régua e cola branca. Mas na medida que os modelos ficam mais avançados, exigem melhores ferramentas.

Muita coisa é construída na base da improvisação. O mercado do papel modelismo, mesmo em nível mundial, ainda não criou a “cultura da ferramenta” como no plasti. Então a panóplia de ferramentas do papel modelista é bem menor , e mais improvisada, o que não quer dizer que não se faça um investimento razoável em ferramentas quando não se avança no hobby.

Podemos dividir em quatro grupos principais as mesmas:

  • Ferramentas de Corte;
  • Ferramentas de Colagem;
  • Ferramentas de Vincagem e Mensuração;
  • Ferramentas de Modelagem e Pressão;
  • Ferramentas de Pintura.

No papel modelismo, podemos adaptar, ferramentas de corte do plastimodelismo, instrumentos cirurgicos (bisturis) e estiletes de uso geral, aqueles dentados. O uso conjugado de todos esses tipos é o mais aconselhável.

Eu particularmente não uso lâminas para hobby tipo “X Acto”, aqui no Brasil elas são caras ao absurdo, com o preço do pack de 5 lâminas , é possivel comprar um cento de lâminas de bisturi Nº 11 que tem praticamente o mesmo formato e são adaptáveis ao cabos tipo MAXX, ou X Acto.

Aqui observamos os principais cabos que uso. Da esquerda para direita: Estilete dentado grande – uso para cortes pesados, em geral de cartão grosso, uso eventualmente para cortar isopor também. Depois observamos o cabo morsa com a lâmina de bisturi Nº 14 curva, excelente para pequenos cortes e incisões. O terceiro instrumento, é um cabo morsa com uma lâmina inclinada tipo OLFA, é ótima para cortes de mão livre, em geral tem a venda em casas de artesanato. A quarta é o meu cavalo de batalha, o cabo com lâmina de bisturi Nº 11, está e a  minha lâmina de corte geral que uso para quase todos os usos. Os últimos cabos são estiletes dentados sendo um OLFA que uso para cortes de uso geral.

Os compassos de corte são ferramentas muito úteis, para realizar cortes em círculo perfeitos, tenho dois, um Olfa como o da foto em cima, e outro maior que ganhei do amigo Joca, para scratch é excelente pois realiza grandes cortes em círculos rapidamente.

Uso também tesouras, como podem ver o que não há aqui são tesouras escolares, uso tipos variádos, algumas de cirurgia, outras usadas por manicures, e acreditem cada uma tem uma função dependendo do tipo de papel utilizado e o trabalho a ser executado, para iniciantes recomendo uma tesoura de unha curva, uma reta, e uma tesoura maior de uso geral para cortar papelão. Chamo a atenção para a tesoura no saco de plástico, com manopla de pressão, usda em costura que é otima para cortes em curva de grande circunferência e cortes métricos.

Aqui apresento o meu material de medição e alinhamento, uso réguas de metal para guia de cortes ordinários e aquela régua grande cinza que é especialmente desenhada para operar com estilete ou laminas circulares, ela tem as bordas arredondadas o que impede a lâmina de subir e a base enborrachada para não escorregar no papel. Os outros instrumentos são escalímetros, eu uso para medidas de trem de pouso, alinhamentos, quando o modelo é em escala. Como trabalho basicamente com a escala 1/100, para mim é uma ferramenta de grande ajuda nas colagens de trem de pouso, alinhamento de asa etc, além de ser fundamental quando realizamos scratch em papel e em escala.

As pinças de diferentes formatos são de grande utilidade na confecção de modelos de papel, servem basicamente para realizar dobraduras difíceis, dobrar tabs (as abas de colagem) além da sua função clássica de segurar e posicionar pequenas peças, em alguns casos são utilizadas para manterem partes pressionadas para sem coladas. Uso uma ampla variedade, desde pinças de manicure, de remoção de pelos, passando por pinças cirurgicas, hemostaticas e etc.

Um dos grandes problemas no papel modelismo, é produzir de forma satisfatória  cones e cilindros. Aqui vemos as ferramentas que utilizo para produzir formas cilindricas no papel sem quebrar a fibra do mesmo, assim como realizar alguns tipos de conformações ou detalhes cônicos no papel. Elas tem origem diversa, sendo que muitas são utensílios de manicure/pedicure, outras são dentárias e outras são utilizadas em costura, chamo a atenção para a espátula dentária que está do lado do agulhão com cabo de madeira, eu a utilizo para realizar vincos bem finos e profundos nas dobraduras, ela é ótima para esse fim.

As bases de corte são elementos insuperáveis para protegermos o investimento em lâminas, pois foram desenhadas para proteger o fio dos estiletes, além de promoverem cortes mais firmes pela aderência da lâmina ao mesmo. Estas bases, tem em diferentes formatos e também diferentes preços, eu tenho duas uma A4 e  outra A3, bem cuidadas, esse material dura a vida toda.

Alguns tipos de forma no papel modelismo são difíceis de serem reproduzidas por dobradura, então utilizamos o recurso de as criar com formas de pressão. As espátulas e formers são utilizados para modelagem de massa fria ou biscuit, no papel modelismo usamos para produzir formas esféricas como um cone de avião por exemplo, ou domos, tenho de diferentes tamanhos e formatos.

Aqui observamos os instrumentos que uso para aplicar cola, as de madeira para grandes superfícies e as pequenas que são agulhas de crochet para área diminutas. As de madeira são encontradas em lojas de produtos de beleza e são usadas para aplicar cera de depilação.

E por falar em colagem… Aqui observamos as principais colas utilizadas no processo de montagem. A cola geral é a Cascorex Ultra, que está representada naquela bisnaga de confeiteiro branca, as colas de bastão são utilizadas para colar peças por laminação (um papel sobre o outro), uso também bonder em gel e líquida para colagens fortes pontiforme (como trem de pouso, montantes, canhões , antenas e outras tretras. A cola na caixa amarela é um adesivo pva bem forte que utilizo na colagem de papelão ou papel bismark, e finalmente a cola de isopor pode ser tanto usada para colar papel sem manchar como para usar em isopor mesmo na produção de gabaritos.

Não tem coisa pior que aquelas linhas brancas horrendas que ficam mostrando a emenda num modelo de papel, mas isso pode ser facilmente resolvido com a aplicação de tinta nas quinas de cada peça, eu normalmente uso “canetinhas ” hidro-cores de diversos fabricantes para realizar esse serviço, eventualmente uso lápis de cor e mesmo tinta acrílica, se a cor do modelo é esotérica e de dificil reprodução, chamo a atenção para as canetas da linha Magic Color que são profissionais e são ótimas para esse tipo de trabalho.

Para proteger o papel uso ou verniz Acrilex em spray ou o Water Proof da CIS, que é um ipearmibilizante IMPORTANTE: o verniz ou ipearmibilizante não tem a função de dar acabamento fosco ou brilhante ao papel, e sim protege-lo e dependendo da quantidade de mãso enrigece-lo para a montagem. Para acabamento brilhante após montado, é interessante aplicar um verniz de modelismo (Testor Humbrol, Tamiya, Daiara, Acrilex ou mesmo FUTURE ou equivalentes – isso mesmo: Brilho Fácil incolor não ataca o papel desde que esse esteja protegido. Vejam que tem também o can de Spray Mount, isso é uma cola em spray que uso muito quando é necessário a laminação de uma peça de grande superfície.

Muita gente não considera computador e impressora ferramenta, bem eu considero. Ter um bom equipamento de impressão é fundamental para garantir a máxima fidelidade nas cores, cartucho recarregado, ou com pouca tinta é uma merda, utilizo atualmente duas impressoras: uma HP Deskjet D2460 e um Epson T65 Stylus, para mim é o melhor de dois mundos.

Em resumo, usar a ferramenta correta no trabalho, é garantia de bons resultados. Não adianta ter um monte de instrumentos se você não sabe usá-los. No final na medida que se avança, a gente percebe que a melhor ferramenta é aquela que a gente se adapta. Compre uma ferramenta de acordo com a sua necessidade e a sua capacidade de manuseio da mesma 😉

4 Responses to Uma Breve História Sobre “Herramientas e Algunos Materiales”

  1. Petuco diz:

    Faltou o descartável, bom e velho amigo palito de dentes. HEHEHEHE.

  2. Julio Cesar diz:

    Boa noite, caro amigo estou começando a fazer um modelo da Nave Interprise, é o meu primeiro modelo que estou criando queria algumas dias pois não tenho toda essa ferramentaria. Para fazer o trabalho.

    • Peres diz:

      De uma olhada em outros artigos do blog, principalmente nos dossiês e guias de montagem, ali existem passos à passos das criações dos meus aviões com todas as técnicas que uso, que embora estejam empregadas para modelos na área da aviação são utilizáveis em outros tipos de modelos de papel. Pesquisa no google e em fóruns como o papermodelers.com são sempre interessantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>