Focke Wulf TA-183 – O pai do MiG 15 e do Sabre…

Vou apresentar um modelo hoje na seção, que é um dos meus aviões favoritos, embora ele nunca tenha de fato voado, a semelhança deste avião com alguns tipos soviéticos, notadamente o MiG-15 e La-176 é impressionante, fato que como o texto a seguir mostra.

Talvez uma das coisas que mais impressiona na cultura alemã, é a vocação deste povo para a engenharia e o design. Durante o período entre-guerras na conturbada Alemanha surgiu a escola de desing Bauhaus que até hoje influência o projeto de móveis e edificações.

A II Guerra Mundial, evidenciou a qualidade do maquinário bélico da Alemanha Nazista e a competência de seus projetistas e fabricantes. No campo da aviação, algumas das maiores realizações da II Guerra Mundial no campo técnico foram conseguidas pelos alemães, através da implantação pioneira de aviões a foguete e a jato como o Messerschmitt Me-163, 262, Heinkel 162, Arado Ar 234.

Impressão artística do TA-183 em vôo em um cenário fictício em 1946, notem os B-49...

Porém o que mais impressiona são os projetos alemães que não ficaram prontos a tempo de serem utilizados na guerra. No campo da aviação as pesquisas de diversas fábricas e institutos, caminhava ao uso de asas enflechadas,  tanto com enflechamento positivo quanto negativo, asas de geometria variável, rotativas, deltas, asas voadoras, construção híbrida, propulsão combinada e mesmo armamentos modernos como misseis ar ar e canhões de alta velocidade.

Mockup de Madeira em 1/8 scale do TA-183

Alguns desses projetos  avançaram na forma de protótipos que estavam sendo construídos ou que fizeram o seu primeiro vôo (como foi o caso do Horten Ho -229) justamente quando a guerra na Europa acabou, com a derrota final da Alemanha Nazista em 1945.

Ainda hoje nos causa admiração ver a pesquisa aeroespacial alemã cristalizada através de modelos ou de projetos de aviões reais das década de 50 construídos em outros lugares. Um avião que impactou muito a cena da pesquisa aeronáutica nos anos 50 com certeza foi o Focke Wulf TA-183 “Huckebein”.

Esquemático em três vistas do TA-183

Este pequeno e gorducho avião à jato, foi desenhado como uma das propostas de “caça de emergência” que o OKL (Alto Comando da Luftwaffe) emitiu como concorrência pública em 1944. Os projetos deveriam considerar alto desempenho para sobrepujar os caças americanos e ingleses a pistão em performance, uso de materiais não-estratégicos na construção, montagem fácil e barata.

A maioria dos desenhos do TA-183 foram capturados pelos Ingleses quando tomaram a fábrica Focke Wulf em 1944, justamente no momento em que se preparava a pré-produção desse avião...

Desenhos técnicos do TA-183 com motor HS011B...

A equipe do genial engenheiro Kurt Tank (projetista do Focke Wulf FW-190), já em 1942 começou a desenvolver uma aeronave chamada de “Projekt II”, usando estudos avançados de aerodinâmica, notadamente asas enflechadas e estabilizadores pivotados e servo-comandados. Sob a orientação e supervisão do engenheiro Hans Multhopp se chegou em poucos anos de pesquisa ao refinado TA-183, que tinha características notáveis para época, como cockpit alto em uma seção triangular, pressurizado, asas médias com 40º de enflechamento positivo, e o uso de uma construção mista em alumínio e outros materiais não estratégicos.

Kurt Tank em 1942, projetista chefe da FW...

O RLM (Ministério da Aeronáutica Alemão) autorizou a produção de 16 protótipos, o avião deveria ter um turbojato centrífugo HE S011 de segunda geração, e em algumas versões um booster de interceptação (um motor-foguete ascencional), com a indisponibilidade deste turbojato, quatro protótipos tiveram a fuselagem reprojetada para a acomodação do motor Jumo 004B (O mesmo do Me-262). Testes em modelos reduzidos foram realizados em túneis de vento, e pelo menos sete protótipos estavam em fase final de construção quando o projeto foi interrompido.

Um fato curioso, é que os ingleses tomaram a fábrica Focke Wulf e capturaram os planos de construção e uma parte da matrizaria, já os russos capturaram os protótipos incompletos, que estavam sendo construídos em outra parte da Alemanha e muitos técnicos envolvidos no Projeckt II (que depois foram parar na URSS sendo forçados a trabalhar).

Hans Multhrop segurando um modelo de madeira do TA-183

É impressionante a quantidade de influências que o Ta-183 criou na aviação militar do pós guerra. Existe uma crença generalizada que o MiG-15 foi calcado na tecnologia do TA-183 no que refere-se a projeto e construção, essa informação não é de todo verdadeira, porém de fato o MiG-15 herdou a asa a meia fuselagem com caixa tranversal, muito mais parecido com Huckenbein era o La-176, projeto soviético concorrente que acabou sendo defenestrado em favor do caça MiG.

Planandor de madeira 1/6 de escala do Huckenbein sendo preparado para ser lançado para verificar as capacidades aerodinâmicas...

Planador sendo preparado para alçar vôo...

Modelo de tunel de vento do TA-183

Em alguns modelos americanos vemos a influência do TA-183, notadamente na seção de nariz do famoso caça North American F-86 Sabre muito semelhante em função e construção.

La-176 "Fantail" dimensionalmente e estruturalmente semelhante ao FW TA-183, foi recusado em favor do MiG-15

Apesar do projeto ter morrido com o fim da Guerra, ele renasceu em um lugar no mínimo esotérico no pós guerra: Argentina.

A Ditadura de Juan Peron e o seus respectivos governos “civis” entre 1943 à 1973 acolheu uma grande comunidade alemã na Argentina após a guerra, inclusive protegendo criminosos de guerra nazistas.

Como todo o caudilho, Peron tinha um projeto nacionalista, entre os muitos aspectos do seu governo, previa uma militarização crescente, e um certo autonomismo industrial no que refere-se a equipamento bélico. Dessa premissa nasce o FMA IAe 33 Pulqui II.

Kurt Tank emigrou para a Argentina em 1947 juntamente com uma parte da equipe que trabalhou no projeto do TA-183, logo ele se tornou engenheiro da FMA e na busca por um jato de caça nacional desenhou o pulqui II, esse projeto que chegou a ter aviões de pré-série voando era muito similar ao TA-183 em diversos aspectos.

Protótipo do Pulqui II, em certos aspectos muito semelhante ao TA-183

Infelizmente, a deposição de Peron, a influência dos EUA (oferecendo N.A. F-86 Sabres bem baratinhos para os hermanos), os problemas econômicos, mais a queda de dois aviões pré-serie acabaram impedindo os Argentinos de serem os pioneiros na América Latina a produzir um avião de combate de alto desempenho em plenos anos 50.  A história do Pulqui II, é para outra oportunidade e para um modelinho em especial dele 😉

Esquemático do Pulqui, também parecido com La-176...

Assim terminanos a saga do TA-183…

O modelo:

Apresento agora o meu modelo do TA-183, em cores fictícias da Luftwaffe no clássico esquema de cores dos caças diurnos entre 1944/1945 RLM 74 / 75 / 76, com marcações do fronte russo. Este modelo foi desenhado pelo amigo Roman Vasyliev (vulgo Der Kampfflieger) na escala 1/100 e pode ser adquirido aqui. Apesar de simples, é um modelo altamente efetivo.

O montei em um pouco mais de um dia no feriado do dia 15 de novembro, e recomendo a aquisição, pois apesar de ter sido uma máquina que não voou foi um marco na indústria aeronáutica e mesmo passados mais de 50 anos de seu projeto básico ter sido desenhado, ainda chama a atenção pelas suas linhas futuristas.

Referencias Bibliográficas:

Focke Wulf TA-183  X- Planes of Third Reich – Myhra David – Schiffer Publishing (August 1999) ISBN-10: 0764309072

Para saber mais: (Punhetadas na Internet)

http://en.wikipedia.org/wiki/Focke-Wulf_Ta_183

http://www.luftwaffe39-45.historia.nom.br/aero/ta183.htm

http://en.wikipedia.org/wiki/Kurt_Tank

http://pt.wikipedia.org/wiki/Juan_Domingo_Per%C3%B3n

http://en.wikipedia.org/wiki/FMA_IAe_33_Pulqui_II

http://www.choiquehobbies.com.ar/revista/notas/pulqui2/pulqui2e.htm

2 Responses to Focke Wulf TA-183 – O pai do MiG 15 e do Sabre…

  1. FLAVIO FAGUNDES FERR diz:

    Parabens…voce é mesmo um heroi.Queria muito que o papermodelismo se firmasse no Brasil..mas vamos ver

    • Peres diz:

      Obrigado! Quanto ao papel modelismo se firmar, acho que já se firmou, a questão mesmo é o Brasileiro parar de fazer pirataria de modelos, para que se crie um mercado editorial para que empresas como Halisnki, GPM, Modelik e Hobby Model publiquem modelos aqui…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>