Y Wing 1/72 – Customização de um Modelo de Papel

Bem amigos esse modelo foi construído em 2007.  Na época, houve uma grande polêmica no famoso fórum Webkits, por conta do mérito do modelismo de papel, essa discussão que foi transformada em uma flame wars no referido fórum que nessa ocasião, tentava julgar se esse tipo de modelismo era melhor ou pior que o plasti. Discussão à parte, considerando os provincionismos e a ignorância de alguns, a discussão além de inútil só desagregou os papelmodelistas na época, provocando uma debandada dos papelmodelistas do referido fórum e um ranço desnecessário entre os plastimodelistas e a galera do paper.  Porém uma coisa para mim saiu de positivo desse triste episódio, este modelo que vou demostrar a montagem agora.

Tudo começou com uma brincadeira entre os amigos da Confraria do Clube do Canhão aqui em Porto Alegre, que poderia transformar um modelo simples de papel e free em uma réplica convincente…

Esse tutorial foi publicado em poucos lugares, em lingua inglesa no fórum Papermodelers.com e em português nos fóruns da IPMS-POA (que passou por uma migração e o tópico não está mais lá) e no Spacedock (que está inativo), de modo que atualmente o Panzer Fórum e este artigo é onde ele estará publicado em português.

Mas chega de charla e vamos ao modelo 😉

Mais um projetinho maluquinho, revendo pela enésima vez o Star Wars 4 e 6 resolvi desencavar o projeto de fazer uma Y Wing escala 1/72…

O Feedback:

Como muitos devem saber existe uma grande gama de modelos de papel da saga Star Wars, alguns efetivamente fantásticos e outros muito pobres.

Os designers de Mr. George Lucas nunca se preocuparam muito em fazer naves aerodinâmicas demais (afinal no espaço não há resistência nem atrito), então era uma coisa natural que essas naves tivessem mecanismos e coisas do gênero a mostra…

Um exemplo clássico desse exercício é a Y Wing um dos primeiros caças a serviço da Aliança Rebelde, oficialmente chamado de Koensayr BTL-S3 (a Aliança operou também as variantes BTL-A4 e BTL-A4LP) estes velhos caças de antes da guerras Clon foram os primeiros caças de fato da Aliança embora totalmente ultrapassados, estas naves clássicas de um e dois lugares foram atualizadas com novos motores, computadores de ataque e canhões e acabaram sendo utilizadas como caças bombardeiros durante a batalha de Yavin e de Endor.
O grande ponto forte do Y Wing é a adaptabilidade do airframe e baixa custo de manutenção…

Foto do modelo para estúdio, observem a grande quantidade de dispositivos e detalhes de maquinismos

Uma coisa que pouca gente sabe é que o Y Wing era originalmente coberto por carenagens aerodinâmicas que protegiam esses dispositivos. As urgências da Aliança e o fato de serem constantes os reparos e manutenção acabaram por abolir as placas dando o charme de “sucata”…

Y Wing ou BTL-S3 com as carenagens originais…

Modelo:

O problema básico é a quantidade de detalhes que se perdem dos mecanismos que ficam “chapados” na textura então qual a solução? Criar um patchwork com as peças de outras cinco cópias para criar texturas. estas peças vão ter em alguns casos gramaturas triplicadas e utilizaremos outros elementos fora papel como fios de cobre e plástico e madeira balsa…

Pensei em fazer a meu próprio modelo 3D para desdobrar a partir dos excelentes add ons para o game X Wing Alliance mas para ganhar tempo optei em utilizar um modelo pronto desse tcheco relaxado http://www.swpm.tym.sk/index.files/en_swpm.htm que lança um modelo por semana mas sem sequer testa para ver se é montável ele faz tudo na pressa não edita sequer as abas de colagem.   Mas como ele usou para fazer o modelo do Y Wing o arquivo que eu ia manipular com as texturas que eu queria ( ) o que fiz foi editar o modelo no Pepakura Designer e arrumar algumas cagadas…

Aqui algumas renderizações do modelo:

Eu resolvi não editar o 3D mas o modelo final no pepakura considerei bom então reescalei editei os flaps de colagem removi as linhas de dobra. Assim ficou o desenvolvimento:

Continuando…

Optei por fazer primeiro a parte mais critica: a cabine. O autor do modelo cometeu dois erros graves; o primeiro foi deixar o habitáculo do cockpit vazado e o segundo foi deixar a carenagem inferior moldada com a parede traseira.  puto da vida puto da vida puto da vida

E aqui as sequências da montagem dessa peça desgraçada esse modelo parece fácil mas é uma ratoeira para frustrar iniciantes…

O que ajuda muito nesse modelo são as texturas…

Mas vamos lá! Continuando o trabalho de modificação e refinamento estamos aqui com os progressos na cabeça…

Aqui vemos a peça acabada sem a costumização notem que há um enorme buraco na frente, esse buraco é para justamente poder inserir um palito ou haste de metal para dessamassar ou concertar eventuais erros no shape do modelo, esse buraco será coberto posteriormente por uma nova peça…

O segredo para trabalhar com a técnica que chamo de painel saliente é imprimir diversos sets do modelo no caso imprimi três cópias além do modelo base, essas copias são impressas em papel fino 90g enquanto que o master em papel 120g, (No caso ambos são sulfite) estes modelos impressos extras vão fornecer os painéis.

Aqui vemos o processo no caso a customização da frente do meu Y-Wing alguns painéis cortados serão colados para duplicar a gramatura ou triplicar se for o caso, as bordas sãoo pintadas com lápis de cor para eliminar as eventuais quinas brancas e na última foto a peça pronta para ser instalada na frente…

Aqui observamos a extração e instalação dos painéis do canopy…

O reparo da torreta laser AA neste caso a peça sacada teve a gramatura triplicada com tacos de sulfite 240g e pintada com lápis de cor cinza…

Um exemplo da técnica, a peça frontal dos canhões instalada com os painéis salientes…

Na próxima postagem: A confecçao da torreta AA, dos canhões e da panelização da parte de trás!

Com a cabeça pronta vamos agora realizar a costumização: colar painéis salientes e criar o suporte da torreta

Bem amigos agora a finalização desta etapa do modelo. Primeiramente vou pedir desculpas pela quantidade de fotos, mas é para ilustrar o processo todo e vocês não perderem os detalhes…

Na sequencia o refinamento melhora nos canhões e a confecção dos painéis salientes na fuselagem…

O modelo escalado para 1/72 fica com peças muito pequenas e as vezes difíceis de serem manipuladas, o segredo para lidar com estas peças é imprimi-las em gramaturas baixas (75 ou 90g) que são mais fáceis de se lidar. É o caso dos canhões frontais de forma cônica…

Aqui observamos os canhões montados e instalados…

As peças dos canhões laser AA foram impressas em gramatura baixa como no caso dos canhões, nas fotos subsequentes toda a montagem do conjunto, notem que a base do canhão sofreu nova retexturização…

O conjunto pronto e montado faltando apenas os canos que serão feitos de metal…

O resultado final vocês vêem abaixo…

Agora a parte divertida/tediosa a panelização da fuselagem. o processo já foi descrito posts acima… as fotos

Pelo buracos do jogo extra de impressão dá uma idéia de quantos painéis utilizei e olha que neste caso foram poucos…

A instalação dos painéis no topo da fuselagem…

Nas laterais…

Aqui vemos os painéis da face inferior da fuselagem…

Na parte traseira um exemplo de técnica que nas outras partes da fuselagem utilizarei muito: a criação de painéis cilindricos para imitar bobinas e outros tipos de maquinismos, essas foram feitas com papel 55g…

Vamos lá! Pescocito!!!

Bem aqui as primeiras etapas da montagem do pescoço, esta parte tem dois erros graves que o nosso inexperiente designer da República Theca cometeu.    O primeiro que a peça é simplesmente vazada então mesmo com papel 120 a 180g o conjunto do pescoço é guenzo demais (acho que ele não sabe editar as meshes em programas como o  Metasequoia LE), o segundo erro é ter uma aba de colagem absurdamente pequena, mas isso não é problema o problema mesmo é a molenguisse da peça em si, a solução foi fazer um recheio de madeira, por que ela? Por que a madeira adere bem com o papel e provoca volume mas não peso.

Vamos as fotos.

O início da bricadeira, parece simples mas não é hehehehe, o pescoço tem quinas anguladas portanto atenção…

A peça construída e vazada, erro grave pois sendo ela um elemento de sustentação não tem área de colagem com a área da cabeça e com o resto do corpo…

Aqui temos a solução nada ortodoxa de rechear a peça com madeira, foram usados tacos de madeira balsa e palitos de picolé (daqueles que se compram em supermercados), como alternativa poderia se usar papel bismark também…

Aqui vemos as peças que compõem a superestrutura do pescoço. Hoje irei montá-las e seguir com o trabalho de costumização e agora o bicho pega! Muito cabos pequenas peças. Depois de tudo finalizado iremos lidar com o dróide R2…

Proximos passos: COSTUMIZAÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mais ataques no pescoçito…

Nesta sequência de fotos vemos uma parte da costumização, para imitar a tubulação e os maquinismos usei arame de bijuteiro e grampos de diferentes tamanhos além de alfinetes e fios elétricos, além da técnica do painel os resultados vocês vêem abaixo…

P.S. Não está terminado ainda…

O material de customização não é nada sofisticado, tudo temos em casa, aqui vocês vêem os clipes e outros artigos além claro os alicates que uso para cortar e dobrar…

Muitos painéis chatos de cortar, todo o cuidado é pouco, mas com calma a gente chega lá…

Em alguns casos a tubulação que é feita com clipes e alfinetes tem joelhos ou seja: adentram na estrutura, ai nesse caso com um mini mandril manual fazemos os furos necessários para a instalação…

O metal foi colado ao papel usando superbonder em gel… Diversos aspectos da tubulação, mas não está pronto falta um dos lados e a parte inferior além de muitos painéis e o droid R2…

Finalização do pescoço…

Bem gente agora a sequência de fotos da finalização do pescoço. Gostei muito dos resultados. Mas passei um pouco de trabalho na hora de ajustar o pescoço na cabeça, o Tcheco tinha que ter vazado a traseira da cabeça para encaixar. O tolo que vos escreve na afobação esqueceu disso, resultado: recortar a parte deu alto trabalho considerando a peça montada.   Mas foi feito como vocês podem apreciar nas fotos.

Diversos aspectos da finalização dos detalhes no pescoço, usei como vocês já viram materiais domésticos para detalhar, custo: ZERO.

O toque final: a unidade R2, como vocês podem ver a peça é muito pequena, então novamente utilizamos o artifício de usar as peças impressas em gramatura 75 para poder montar adequadamente, uma cinta de vermelho foi pintada com uma caneta Staedler para para esconder as emendas. wink.gif

O resultado final: O dróide pronto para a eventualidade de qualquer defeito no Y wing hehehehe!   Ainda bem que é daquele modelo de cabeça chata…


Dois ângulos de todo o conjunto finalizado, é demorado mas altamente compensador, pois dá um grande realismo ao modelo, aproveitei para por os canos da torreta laser AA.

Bem amigos após um pequeno delay voltamos a aventura de montar a Y Wing Costumizada. Agora é a vez da parte central da nave com as asas. Esse conjunto é o que vai mais detalhes e precisa de uma precisão sem igual (não pode ficar torta) sob a pena de arruinar o modelo.

Um dos problemas mais crônicos e persistentes de todo o modelo é justamente as peças serem todas vazadas o que deixa o conjunto todo guenzo e mole (imagina se montássemos na escala proposta do modelo que é bem próxima de 1/48) então novamente utilizamos os recursos de rechear o modelo com madeira balsa para dar sustentação (todo o conjunto central e as asas). Novamente tivemos o problema de ter que vazar o encaixe do pescoço na parte central da fuselagem (optei em já colar todo o conjunto por que muitas tubulações vão até o pescoço…) mas dessa vez a operação foi feita sem problemas. Bom vamos as fotos…

Aqui vemos a confecção das asas como sempre o problema do vazamento das peças, nada que um enxerto com palito de picolé não resolva…

Observamos o conjunto central da fuselagem da Y Wing sendo montado, estas peças tem duas arapucas perigosas: não tem encaixes claros e formam nas extremidades dois ressaltos em forma de caixa que são muito difíceis de serem confeccionadas foi necessário muita paciência    se arrependimento matasse eu mesmo teria projetado o modelo 3D…

A peça já com o seu recheio de madeira e com as asas coladas a técnica foi a mesma do pescoço, tivemos que vazar as entradas para elas encaixarem se o modelo fosse montado sem artifício não colaria e temos que considerar ainda o peso da nacele em cada asa. Na outra foto o conjunto finalizado aguardando as peças de detalhamento…

Tá começando a ficar com a forma da nave…

O modelo oferece muitos componentes para se aderir a fuselagem, todos foram usados para dar o aspecto que estava procurando ao modelo…

Qui mostramos o processo de fabricação dos painéis salientes da seção central da fuselagem. Vocês vão observar nas fotos que alguns canos maiores já foram instalados, esses foram feitos com arame de bijuteiro de 6 mm para simular a tubulação maior…

Bom vamos as fotos…

O processo de sempre: os paineis são sacados de um segundo jogo impresso especialmente para isso, aproveitei e colei os detalhes da seção central da “fuselagem” (que de fuselagem não tem nada  )…

Colados em uma folha de sulfite ou papel cartão de gramatura entre 240 a 320 para dar altura e quando cortadas pintamos as quinas brancas de cinza claro ou escuro como de praxe…

O arame de bijuteiro é excelente por que é muito malevel e aceita dobras compelxas sem se romper, o efeito com os painéis instalados fica muito interessante …

Bem pessoal de volta a carga do projeto da Y Wing, finalizei o “encanamento” do centro da fuselagem e das laterais como vocês vão poder observar nas fotos, usei dessa vez fio de cobre comprado em lojas de artigos para eletrônica eles são ainda mais maleáveis que os arames de bijuteiro podendo fazer curvas e simular joelhos sem grandes problemas. Bom vamos as fotos…

Um aspecto geral da parte de cima…

O cobre é um material ideal para este tipo de trabalho e capturou bem a idéia de maquinismos complexos descobertos que o “original” propõem…

Close da parte traseira, gostei muito dos resultados…

Acabamento das laterais, agora só falta a customização da parte traseira e da barriga para passarmos para as asas…

O trabalho foi feito rápido em menos de duas horas todos os tubos estavam colocados. Há algumas manchas de bonder que vitrificaram o papel, mas com uma capa de verniz fosco UV elas vão desaparecer…

Finalmente toda a tubulação da parte superior está feita, assim como os painéis da parte de trás, agora irei lentamente para a parte de baixo… Seguem as fotos.

Poucos avanços, mas aqui dá para ter uma idéia da extensão do trabalho com a técnica dos painéis.

Tubulação da parte de cima da fuselagem toda finalizada…

A  parte mais chata e tediosa que era detalhar o centro da fuselagem e das asas está quase pronta…

Vamos então as fotos e os comentários:

Aqui observamos o detalhamento da parte inferior da fuselagem. Os processos foram os mesmos já descritos em todo o tópico: confecção de painéis salientes e uso de pedaços de metal provenientes de sucata e fios elétricos e eletrônicos…

Aspectos da parte de trás da fuselagem, estou gostando muito dos resultados…

Aspectos dos painéis das asas com uma parte da tubulaçao já instalada, agora utilizarei pedaços de clipes de papel pequenos para completar essa tediosa parte e partir para as naceles…

Agra apresentamos os progressos nas asas com esta etapa fica finalizada a fuselagem e partiremos para o terceiro subconjunto que é as naceles…

Bem vamos as fotos

Aqui vemos a ultima etapa do super detalhamento na fuselagem, as “asas” com os seus painéis e tubulações, com isso finalizado termina essa parte tediosa da brincadeira.

A próxima etapa a vista, as naceles, aqui vemos o seu corpo principal já montado, notem que aquela área escura verde é justamente onde a “asa” encaixa no caso iremos vazá-la para uma posterior montagem e para ficar mais real.

Bom pessoal entrando agora na ultima parte do nosso trabalho aqui que é o conjunto das naceles da Y Wing.  Novamente o nosso amigo projetista da república Tcheca deu uma tchecada e algumas surpresas desagradáveis acabaram se revelando…

Vamos as fotos…

Sub conjuntos das naceles, finalmente o bixinho tá ficando com a cara da nave…

Aqui observamos a construção das pontas das naceles, com o segredo para dar formas esféricas, um “former” para aplicações de confeitos ou massa de biscuit, a peça é pressionada contra ele e conseguimos o formato esférico adequado. Aqui observamos os erros do tcheco, essas horrendas frestas que deverão ser tapadas com partes do segundo set de impressão     …

A parte de trás das naceles anexadas, foram confeccionadas em papel 240g para ajudar a forma mais cilíndrica das naceles…

Os exaustores colados a parte de trás…

Finalmente as pontas das naceles foram afixadas e foi a coisa mais chata a fazer nessa etapa, tive que colar com cuidado para não deformar…

O trabalho por enquanto concluído…

Próximas etapas: A panelização das naceles e a customização com cabos e obviamente o tapamento das frestas das pontas…

Agora vamos as hastes de refrigeração dos motores…

Analisando as peças em papel e baseando-se na experiência de montar outros modelos da Y Wing em papel, em que as hastes ficam empenadas e tortas, cheguei a conclusão que a melhor solução seria utilizar ou plástico ou madeira para simular essas peças de maneira que elas ficassem sem nenhum empeno.
Confesso que pensei em usar estireno, mas como existe uma dificuldade em conseguir a preços acessíveis, tiras pequenas, e tentando manter a filosofia de modelo de baixo custo optei em usar tiras de madeira balsa nacional de 1,5 X 1,5 mm dopadas com superbonder. Alguns devem estar se perguntando: E a panelização, e os cabos??? Serão adicionados depois para evitar que se criem frestas e degraus por causa dos painéis na hora de colar as hastes. Então para não ter surpresas desagradáveis optei por colar elas antes…

Vamos as fotos:

Material barato e ecológicamente correto por que é plantado

Cortamos no tamanho que devem ter as hastes do Y Wing baseados nas peças em papel e criamos essa angulação para a frente das naceles…

A tarefa mais chata e dopar a madeira com superbonder. Por que isso? Justamente para fazer desaparecer os veios da madeira e evitar deformações e empenos por causa de grandes diferenças de temperatura ou umidade. O problema é que em geral a melhor maneira de dopar é com os dedos. Por isso atenção! Não esfregue os olhos com cola nos dedos e depois da cola seca não se desespere, basta lever os dedos na agua quente e tudo sai numa boa…  

Depois de tudo pronto as hastes são coladas nas naceles, nessa etapa tem que se ter muito cuidado com os ângulos e distâncias entre as naceles para nada sair torto…

Agora iremos mostrar o processo de pintura das hastes e alguns retoques necessários.

Seguindo de perto a filosofia de modelo de baixo custo, usei para pintar as hastes de refrigeração dos motores, tinta acrílica de artesanato marca Acrilex, numa cor intitulada de “concreto” (na verdade é um cinza esverdeado caganeira muito parecido com o RLM 02).

Feita esta tarefa tratei de arrumar as fendas nas pontas das naceles com retalhos provenientes do segundo set de impressão.

Com esta tarefa feita poderemos a panelizar os motores.

Vamos as fotos:

O trabalho de pintura das naceles, notem que quando pintamos é que fica evidente o desaparecimento dos veios da madeira pelo processo de dope com superbonder…

Finalmente as naceles estão devidamente fechadas com pequenos tacos de papel 180g…

O próximo passo: os painéis, aqui começamos o processo com os anéis de reforço dos motores impresso em papel 120g…

Finalmente as fotos finais do processo de montagem da Y Wing e as fotos do produto acabo ao longo dessa grande epopéia…

Vamos as fotos e as explicações:

Aqui observamos a fixação das tiras de reforço do motor, elas tiveram que ser fixadas antes dos painéis para justamente evitar que se criem degraus na hora de se trabalhar com eles…

Ultima etapa do processo de panelização das naceles, tudo foi feito como já descrito em outras postagens os painéis foram sacados de vários sets de impressão, as suas quinas pintadas com lápis de cor ou hidrocor e depois fixadas nos seus devidos lugares…

Processo finais e alguns Scratchs…

A parte mais chata de todo o modelo de papel da Y Wing além dos resfriadores é a parte interna dos anéis externos de exaustão. As peças oferecidas no kit eram muito fracas e com certeza não dariam um aspecto mais real ao projeto então nada mais restou do que refabricar tudo e ao mesmo tempo fazer as braçadeiras do anel externo.

Vamos as fotos…

A primeira parte da confecção desta etapa final, notem que simplifiquei a montagem do anel, eliminando a segunda parte, o papel utilizado neste caso foi bem grosso sulfite 240g…

O processo de scratch das peças finais do exaustor, aqui vocês vêem do desenho das peças até a sua confecção, inclusive das braçadeiras das hastes que objetivam a esconder imperfeições e degraus. Feito isso tudo pronto para a pintura…

Agora a finalização dos exaustores das naceles…

Apliquei a pintura nos conjuntos e os anéis externos, utilizei tinta cinza chumbo marca Decorfix. Vamos as fotos…

Aqui vemos a confecção dos anéis em papel 240g eles foram pintados com caneta hidrocor cinza, os conjuntos já pintados em cinza chumbo e com os anéis instalados…

Bem quase acabando, quase…

Agora a confecção do pedestal…

Passei um pouco de trabalho em achar uma imagem do símbolo da Aliança, mas achei uma figura em baixa resolução que para o propósito de molde de pedestal é perfeito…

Agora o processo de confecção do pedestal, utilizei como base papel bismark 500g e como haste um pedaço de balsa. Depois pintei de vermelho com tinta Acrilex (Goiaba Queimada que nome de cor bizonho), foi só esperar secar e tocar um capa de verniz semi brilho…

E FINALMENTE…

Apresento a minha Y Wing finalizada pronta para atacar as Forças Imperiais na batalha de Yavin…















Agradeço a todos que acompanharem essa montagem, lembrando que o modelo foi construido entre Março e Junho de 2007, foi publicado no fórum SPACEDOCK (inativo) e no Papermodelers.com, peço desculpas pelas fotos, pois na época ainda estava aprendendo a lidar com máquina digital.

Espero que esse pequeno tuto tenha inspirado os amigos a também desenvolverem técnicas de customização.

5 Responses to Y Wing 1/72 – Customização de um Modelo de Papel

  1. este deve ter dado trabalho pra fazer… mais pelo resultado valeu apena…
    saudações joel ANTILLES

    • Peres diz:

      Deu um trbalhão Jeol, tanto que não fiz mais nenhuma nave nesse estilo, embora hajam muitas intenções nesse sentido e um projeto paralisado: a nave Colonial Movers do clássico Battlestar Galactica (o de 1978), a série nova não sou muito fâ…

  2. JOCA diz:

    Um belo exemplo de modelismo, com a mistura de diversas técnicas e mídias. Em linguajar de galpão, um pé na bunda do modelismo tradicional.

    • Peres diz:

      Na época a intenção era essa, dar um cala-boca, em certos modelistas provincianos, principalmente de SP e do RJ, no fim o trabalho valeu para se desenvolver outras técnicas aplicadas que podem ser utilizadas em diferentes tipos de modelos de papel, ou mesmo de plástico…

  3. Machado PPO diz:

    cara!
    Muito Show, gostei mesmo, bom eu sou novo no papelmodelismo, fiz alguns modelos, meu primeiro foi o castelo animado, depois R1 vermelha, R1 2007 azul(ambas no site da yamaha), SR-71 Blackbird e por ultimo o caça MIG KILLER F-4B da GPM, gostei mais do último que eu fiz, porem ainda ficou umas imperfeições, gostaria de algumas dica suas, eu ti add no facebook, espero que possa me dá um Norte nessa arte. Vlw e desejo Sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>