Petlyakov Pe 8 e GAZ M1 – Murph’s Models e Robotechnik na 1/100

PetlyakovPe-8

Depois de mais de um mês trabalhando na bancada eis que surge mais um modelo e esse é especial: Trata-se do bombardeiro estratégico soviético Petlyakov Pe 8. Desenvolvido na metade da década de 30 inicialmente pelo OKB Tupolev através de um de seus designers chefes Vladimir Petlyakov, inicialmente chamado de ANT-42, foi a resposta de um requerimento da VVS em 1935 para um bombardeiro estratégico que pudesse suplementar o Tupolev TB-3. O Pe-8 era uma extrapolação natural de design do Tupolev SB-2 porém bem maior e com avançadas características para a época, sendo que nenhum avião ocidental de bombardeiro estratégico estava em sua categoria (exceto o Boeing Model 299, o protótipo do B-17), tinha sistema elétrico complexo e avançada radio-navegação para a época, além de possuir um motor extra interno (no caso um Klimov M100) que superalimentava os quatro motores V-12 Mikulin AM-34. quando o protótipo voou o Pe-8 era mais rápido que muitos caças daquele tempo.

Petlyakov_Pe-8

Foram produzidas menos de 100 unidades do Pe 8 por várias razões, uma foi a invasão da URSS na II Guerra Mundial, que obrigou os soviéticos a desenvolverem uma aviação tática para empurrar o inimigo para fora do território, a outra era a complexidade da produção do Pe-8. Ainda assim foram usados para o bombardeiro de Berlim ainda em 1941, e nas fases finais da guerra com um desenvolvimento de uma bomba dedicada somente para ele, a FAB 4000 foi usado para ataques de interdição, pulverizando com essa arma de 4T de alto explosivo, concentrações de tropas, veículos, entroncamentos ferroviários, oleodutos, pontes, bunkers. A façanha mais interessante do Pe-8 ocorreu em 1942 com a viagem do Ministro do Exterior soviético Vyacheslav Molotov para os EUA e a Inglaterra, para negociar a conferência de Casablanca. O voo foi feito com um Pe-8 de produção sem adaptação nenhuma através de espaço aéreo alemão ocupado pelo ártico sem escalas de Moscou a Washington, após reunir-se com Roosevelt, a segunda perna da viagem de Molotov foi a Inglaterra e depois novamente a Moscou. Um voo incrível a época.

petlyakov-pe-8

Tanto o pessoal do USAAC quanto da RAF ficou impressionado com o Pe 8 pois o desconheciam! Após a guerra os Pe 8 sobreviventes já equipados com motores radiais ASh-85 foram usados na exploração do Ártico e da Sibéria e como bancada de testes voadoras para os derivados soviéticos da bomba voadora alemã V1. O meu modelo o “Branco 2″ representa justamente o avião da viagem de Molotov operado pelo 746th Regimento de Avião de Longo Alcance Independente (em russo: Otdel’nyy Avia Polk Dahl’nevo Deystviya—OAPDD).

gaz1173c

Notaram que tem um carrinho junto pois bem esse Staff Car que conduziu Molotov e sua delegação até o avião no aeroporto de Moscou é um GAZ M1, derivado do famoso Ford V8 1933 (essa é outra história se voce está com paciência de ler, vamos lá o Ford V8 era o carro favorito dos gangsters foi num desses que os famosos bandidos amantes Bonnie e Clyde foram metralhados pela policia) O GAZ M! foi feito para o mercado civil soviético sendo o primeiro carro produzido na URSS com algum conforto, ignição elétrica e bancos reclináveis, além de ter suspensão em X. O sufixo “M” vem de Molotov, uma homenagem que o estado fez ao ministro por fechar em 1939 o pacto de não agressão entre a Alemanha e URSS, produzido de 1938 à 1946 foi durante um período o único carro soviético, utilizado por autoridades e altos oficiais em suas versões mais luxuosas e como staff car (quem viu o filme Círculo de Fogo vai se lembrar do oficial politico se ralando quando o seu GAZ M1 é atingido pelo exército alemão em Stalingrado. Viram quanta história modelos podem contar? Modelos da Murph’s Models (Pe 8) e Robotechnik (GAZ M1).

Fotos dos Modelos Finalizados:

Vultee V-1 “Bombardero” – Scissors and Planes 1/100

VulteeV-1Spainnr18-7salfotoAeron-1

Esse avião tem uma história engraçada; Ele foi desenvolvido inicialmente para o mercado comercial de rotas aéreas domésticas nos Estados Unidos, sendo ao tempo da sua introdução (1935) um dos mais avançados aviões de transporte do Mundo, sendo mais veloz que muitos caças e bombardeiros militares, tendo como características hélices de passo variável, revestimento metálico trabalhante, equipamento completo de rádio navegação. No entanto seu pequeno tamanho, o advento de aeronaves como o Boeing 247 e o DC-2, retiraram o V-1 do Mercado, que foi operado brevemente pela American Airlines e outros operadores menores. Um desenvolvimento do V-1 para fins militares gerou o bombardeiro de ataque Vultee V-11 que foi operado pela Aviação Militar e pela FAB nos anos 40. Na Europa o único operador do Vultee V-1 foi a LAPE que ao eclodir a guerra civil espanhola em 1936, fez com que os republicanos as confiscassem e com mais máquinas que foram compradas de diversas origens formassem uma força de 15 V-1 que foram convertidos em bombardeiros táticos, por conta de sua velocidade. Nesta função foram ineficazes pela ausência de um porta-bombas e de uma mira adequada. A partir de 1937 os republicanos os transformaram em avião de ligação.

va-v1a-01-cr-12
Modelo da Sicssors and Planes que teve várias modificações e customizações para representar o V-1 dos repulbicanos. Entre elas a adoção de formers internos, detalhes externos como metralhadora, antenas, volume no motor.

CANT Z1018 Leone – Murph’s Models – 1/100

z1018-6

Bem amigos. Mais um modelo finalizado, o 39º desse ano na escala 1/100. Dessa vez é um bombardeiro médio da Regia Aeronautica (A força aérea da Itália Fascista, durante a II Guerra Mundial). Esse bichinho esquisito é um desenho do genial Fillipo Zappata, designer chefe da CANT. O CANT Z1018 Leone foi projetado para um requerimento de 1939, queprevia um bombardeiro médio/aerotorpedeiro que pudesse substituir vários tipos semi-obseletos que os italianos tinham em operação como o Savoia – Marchetti SM-79 e o FIAT BR-20. No entanto o Leone teve muitos problemas de desenvolvimento, muito em parte por conta da indecisão em relação a sua função e em parte por que a Italia se rendeu em 1943 e até esse período foram produzidos apenas 32 unidades experimentais ou de pré-série. O Leone I como mostrado aqui tinha estrutura de madeira, e uma série de características modernas como tanques de combustível autoselantes, extintores de incêndio automáticos, torretas Breda-SAFAT operadas eletronicamente, motores Piaggio P XII com hélices de passo variável. Apesar de promissor o programa foi um completo fracasso e o Z1018 nunca foi usado em combate.

b14b0e7585d3c14de0941dd95cdd4996

Fotos do Modelo Finalizado:

Douglas B-18A e B-18C na escala 1/100

Bem amigos.

Mais um bombardeiro, tenho me centrado em tipos incomuns do entre-guerras, aves que dificilmente iremos ver montadas em kits sejam de plástico ou em qualquer outra mídia. O assunto da vez é o Douglas B-18 Bolo.

Zoom in (real dimensions: 800 x 533)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 445)Imagem

Em 1934 o USAAC (United States Army Air Corps) estabeleceu uma concorrência para substituir os seus Martin 139 e 166 (B-10 e B-12) na sua força de bombardeiros estratégicos, para essa concorrência os fabricantes apresentaram os seguintes modelos: O Douglas DB-1, Boeing 299 e o Martin 146. O Boeing 299 que era o protótipo da B-17 se espatifou no solo em um vôo de testes e o Martin 146 era um desenvolvimento do B-12, mas mantendo as características deste. Apesar do 299 ser promissor e com desempenho destacado, a concorrência acabou sendo ganha pelo Douglas DB-1 que era na verdade um derivado do famoso Douglas DC-2 utilizando motores ciclone, mantendo asas, trem de pouso e deriva do mesmo, mas com uma rombuda fuselagem que lhe conferiu o apelido de Bolo.

Imagem

Imagem

Imagem

O Exército encomendou 350 aparelhos das versões B-18, B-18A (com nariz pontiagudo) que foram utilizadas de 1936 à 1941 como bombardeiros médios. Com a entrada dos EUA na segunda guerra mundial, os Bolo foram adaptados para patrulha marítima e ASW, sendo o primeiro avião norte-americano a afundar um submarino alemão, sendo pioneiro na utilização de equipamentos MAD e radares de busca.

Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 549)Imagem

Imagem

Além do USAAC a FAB utilizou três B-18 de diferentes versões para adestramento de pilotos e patrulhas ASW no litoral do norte e nordeste sendo que pelo menos um B-18 nas nossas cores afundou o submarino U-512. RCAF teve 20 aparelhos que também eram utilizados para ASW chamados de Digby que afundaram na costa norte da America do Norte pelo menos mais três submersíveis alemães.

Imagem

Zoom in (real dimensions: 784 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 533)Imagem

B-18A

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

B-18C

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Mais dois bombardeiros para a minha coleção 1/100 e mais dois para a minha coleção da USAAC/USAAF :)

Tupoelv TB-3 Teste 1 para o Deleite de Vocês!

Bem amigos.

Uma das coisas mais legais que acho no papelmodelismo é a interação entre designers, editores, fabricantes e os modelistas. Como esse hobby tem a portabilidade do computador é comum a indústria, mandar modelos para os modelistas fazerem testes. Esse é o caso, pois trata-se de um beta 1 da Murph’s Models, que estará a venda em formato digital em breve. Este é um preview de um dos modelos que irei montar no GT bombardeiros do Plastibrasil.org, só que a segunda versão no GT será colorida e na minha escala de coleção 1/100, e ainda assim será um monstro. A montagem tem um acabamento razoável por que nesse teste era importante verificar o encaixe das peças e o alinhamento das linhas de painel.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Como podem ver na WSAM (escala Fiddlers Green) é grande. :mrgreen: :pensando:

 

Alguns aspectos da montagem:

IMG_1432 IMG_1431 IMG_1430 IMG_1429 IMG_1428 IMG_1426 IMG_1423 IMG_1441 IMG_1440 IMG_1439 IMG_1438 IMG_1437 IMG_1436 IMG_1435 IMG_1434 IMG_1433

Mais algumas fotos!

IMG_1448 IMG_1447 IMG_1446 IMG_1445 IMG_1444 IMG_1443 IMG_1442

Era isso. Até a próxima atualização!

Os Meus 100 Modelos 1/100 – Dia 8 – Caproni Ca 3

Os Modelos da Minha Coleção – Dia 8 –

Caproni Ca 3

Esse bombardeiro estratégico, desenvolvido em sucessivas séries pelos italianos, é considerado um dos mais exitosos bombardeiros aliados. A força aérea italiana os usou no teatro de operações dos Alpes contra objetivos do Império Austro-Húngaro, em missões extremamente difíceis, num teatro de operações perigosamente inóspito no que tange ao clima, considerando a fragilidade desses aparelhos. A Itália os usou também no pós guerra, nas suas primeiras incursões contra a África na década de 1920. Alguns modelos aperfeiçoados como o Ca 4 e 5 foram exportados para os EUA e para a França…

Com vocês: A minha nova montagem!!! O Levianthan de Stálin – Myasishchev M-4 Nato Code “Bison” DoD Code “Type 37″ Молот (Molot – Martelo) na escala 1/100

Amigos!

Para quem estava acostumado com as minhas montagens micro ;) apresento-lhos O Levianthan de Stálin, o bombardeiro intercontinental Myasishchev M-4. Seguramente o  maior paper model que já montei até então…

A história dessa gigantesca besta começa no início dos anos 50, com um requerimento direto de Stálin para construir um bombardeiro que pudesse atacar alvos no interior da América do Norte partindo da União Soviética européia, sem escalas. Assim o OKB Myasishchev foi constituído especialmente para construir essa máquina.
Com a tecnologia dos anos 50, algumas requisições de Stalin não podiam ser atendidas no que refere-se a desempenho e alcance, e o aparelho resultante transformou-se num monstro maior que a B-52 e rivalizando com a B-36 em termos de tamanho, transformando em uma das mais gigantescas máquinas militares do seu tempo…

Apesar do tamanho os Molot (Martelos) como os aviadores russos os chamavam eram bastante populares. Porém com pouco alcance e grande consumo de combustível por conta dos seus motores, logo ficaram relegados a outros usos versões tanque, de EW, reconhecimento e no fim da sua carreira foi reconstruído na forma de um derivado chamado de Atlant, a contra parte soviética para avião de carga volumosas semelhante ao Guppy e Super Guppy (feitos em cima dos cargueiros Cargomaster derivados do B-29), porém ao contrário das suas partes americanas o Atlant levava um gigantesco POD de carga no dorso, mas isso já é outra história…

O modelo não está pronto, mas está sendo construído de modo que já posso provocar as formigas. :lol:

Mas chega de charla vamos ao monstro…

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Este é o atual estágio de montagem, estou apanhando um pouco na feitura das naceles do referido… Vou ter que fazer uns enjambres para deixa-las apresentáveis.

A escala original é 1/160, imprimindo em A4, então mandei aumentar para 1/100 e imprimi em uma gráfica expressa em couchet brilhante 180g A3, o modelo tem uma série de reforços em papel Kraft, vamos ver o que vai sair…

O modelo é gratuito e pode ser baixado aqui:

http://papirmakettek.lapunk.hu/?modul=galeria

Até…

Em breve novidades neste pequeno aviãozinho e uma matéria de respeito… :mrgreen: