Retrospectiva Modelista 2014

Bem amigos e amigas, mais um ano que se vai e mais uma vez é tempo de nossa Retrospectiva modelista, que esse ano teve recorde de montagens!

Para acessar a página clique AQUI.

Ou então vá na aba no Taller que é sem erro.

Um feliz 2015!

Douglas TBD-1 Devastator – Thaipaperwork – 1/100

Acho que por enquanto, o meu surto da US Navy fica mais ou menos acalmado… :)

Douglas_TBD-1_VT-6_in_flight_c1938

Mais novo modelo adicionado a minha coleção US Navy na escala 1/100. Uma outra versão do famoso aerotorpedeiro da US Navy o Douglas TBD-1 Devastator, em cores de tempo de Guerra este TBD está nas cores do VT-6 baseado na Ilha de Wake em 1942 durante os movimentos da Batalha de Midway. O Devastator foi ao tempo da sua introdução (1936) o mais moderno avião naval do Mundo, porém foi rapidamente considerado obsoleto, pois era incapaz de sobreviver aos aviões de caça dos japoneses. Foi substituído na linha de frente pelo famoso Grumman TBF/TBM Avenger a partir de 1942. Modelo na escala 1/100 gratuito desenhado pelo designer Nobi da Thaipaperwork.

Douglas A-1 Skyraider: AD-4 e A-1H na 1/100 – Murph’s Models

Bem amigos, retomando as nossas montagens. É tempo de apresentar o que ficou pronto de lá para cá.

13561

Bem amigos. Mais um modelo finalizado que estou postando aqui para voces no meu horário de almoço. Trata-se do Douglas AD-4 Skyraider. Um ícone da guerra fria e ao mesmo tempo um anacronismo na era do jato. Conhecido também como “Sandy”, “SPAD” e Flying Dump Truck (Caminhão de Lixo Voador) a história do Skyraider começa ainda em 1944, quando a US Navy emitiu um requerimento para um novo Bombardeiro/Torpedeiro com base em porta-aviões. Depois de uma série de redesenhos, surgiu a forma do Skyraider, embora lembrando um caça, era um grande avião com um potentíssimo motor Wright R-3350-26WA de 2600 Hp o AD-4/5 podia levar 3600 kg de armas de bombas de ferro até casulos com miniguns, napalm, bombas incendiárias, fósforo branco, lança foguetes dos mais variados, bombas antipessoal. Foi extensivamente usado na Guerra da Coreia como avião de ataque e no Vietnan como aeronave COIN. Em pelo menos duas ocasiões os Skyraider se envolveram em combates aéreos, sendo que numa dessas abateu um jato MiG-17F com seus quatro canhões de 20 mm. Os últimos foram aposentados em forças aéreas africanas nos anos 80. Modelos da Murph’s Models reduzido para a escala 1/100.

O exemplar assunto do meu modelo é um AD-4 da Marinha Americana, equipado para bombardeiro de mergulho, durante a Guerra da Coréia. 

Este Skyraider da US Navy está configurado para interdição no campo de batalha, com armas terríveis: um tanque de 750 l de combustível/napalm, dois tanques de 250 l de napalm, 4 bombas incendiárias M-36, 2 pods de foguetes M-57 Zuni, 1 bomba de termite (fósforo branco) M-41 e uma bomba-patente (uma gozação que a Marinha dos EUA fez envolvendo um bomba de ferro de 75 kg em um vaso sanitário, para comemorar a tonelagem de carga bélica lançada contra posições vietnamitas).

Douglas A-1H Skyraider, usado pela VNAF para ataque ao solo e interdição no campo de batalha. Distinguia-se dos equipamentos da USN, por ter uma suite de comunicação mais avançada.

Bem amigos por enquanto é só. 😉

Douglas B-18A e B-18C na escala 1/100

Bem amigos.

Mais um bombardeiro, tenho me centrado em tipos incomuns do entre-guerras, aves que dificilmente iremos ver montadas em kits sejam de plástico ou em qualquer outra mídia. O assunto da vez é o Douglas B-18 Bolo.

Zoom in (real dimensions: 800 x 533)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 445)Imagem

Em 1934 o USAAC (United States Army Air Corps) estabeleceu uma concorrência para substituir os seus Martin 139 e 166 (B-10 e B-12) na sua força de bombardeiros estratégicos, para essa concorrência os fabricantes apresentaram os seguintes modelos: O Douglas DB-1, Boeing 299 e o Martin 146. O Boeing 299 que era o protótipo da B-17 se espatifou no solo em um vôo de testes e o Martin 146 era um desenvolvimento do B-12, mas mantendo as características deste. Apesar do 299 ser promissor e com desempenho destacado, a concorrência acabou sendo ganha pelo Douglas DB-1 que era na verdade um derivado do famoso Douglas DC-2 utilizando motores ciclone, mantendo asas, trem de pouso e deriva do mesmo, mas com uma rombuda fuselagem que lhe conferiu o apelido de Bolo.

Imagem

Imagem

Imagem

O Exército encomendou 350 aparelhos das versões B-18, B-18A (com nariz pontiagudo) que foram utilizadas de 1936 à 1941 como bombardeiros médios. Com a entrada dos EUA na segunda guerra mundial, os Bolo foram adaptados para patrulha marítima e ASW, sendo o primeiro avião norte-americano a afundar um submarino alemão, sendo pioneiro na utilização de equipamentos MAD e radares de busca.

Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 549)Imagem

Imagem

Além do USAAC a FAB utilizou três B-18 de diferentes versões para adestramento de pilotos e patrulhas ASW no litoral do norte e nordeste sendo que pelo menos um B-18 nas nossas cores afundou o submarino U-512. RCAF teve 20 aparelhos que também eram utilizados para ASW chamados de Digby que afundaram na costa norte da America do Norte pelo menos mais três submersíveis alemães.

Imagem

Zoom in (real dimensions: 784 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 533)Imagem

B-18A

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

B-18C

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Zoom in (real dimensions: 1024 x 768)Imagem

Mais dois bombardeiros para a minha coleção 1/100 e mais dois para a minha coleção da USAAC/USAAF :)

Douglas TBD-1 Devastator – Fiddlers Green

Bem amigos!

Novamente um teste para o amigo Aaron Murphy, desta vez é o famoso e clássico torpedeiro da marinha americana o Douglas TBD-1 Devastator. Para variar zombetando com o non-sense modelistico, escolhi para montar a versão do pré guerra das mais coloridas. do esquadrão VT-2 em 1939.

O TBD-1 ao tempo da sua introdução foi um dos mais modernos bombardeiros  navais do mundo. Podia ser usado como torpedeiro, ou bombardeiro de nível. O tubo no cockpit, é o diretor de torpedos / mira telescópica para metralhadora. No TBD a liberação do torpedo ficava por conta do piloto, no segundo posto atrás ficava o bombardeador, quando o Devastator era configurado para jogar bombas o segundo posto tinha uma mira Nordem embutida num alcapão que era aberto bem no meio da fuselagem na parte de baixo para a liberação. Na Batalha de Midway o TBD só foi usado como Torpedeiro então nesse caso a tripulação era apenas piloto / artilheiro…

Zoom in (real dimensions: 800 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 600)Imagem

Zoom in (real dimensions: 800 x 600)Imagem

Esse modelo em breve deve estar disponível para aquisição na Fiddlers Green, se  o amigo ou amiga que lêem isso tem uma assinatura (magic key) fique antenado.

Antologia da Aviação Naval Vol.4 – Douglas F5D-1 Skylancer

Continuando com a nossa antologia, vamos nesse quarto volume, mostrar um belo avião, desenvolvido para a Marinha dos EUA nos anos 50, como um segundo desenvolvimento do clássico Douglas F4D Skyray, na função de caça supersônico de defesa da frota, falamos dessa vez do incomum Douglas F5D Skylancer, que acabou não sendo produzido em massa.

O Avião:

O Skylancer surgiu na segunda metade dos anos 50, originalmente como um desenvolvimento avançado do Douglas Skyray, a intenção era criar uma aeronave supersônica que corrigisse as falhas do F4D, aproveitando as suas melhores características de vôo. Por essa época a Marinha dos EUA estava buscando um caça supersônico de superioridade aérea para a defesa da Frota, e estabeleceu uma concorrência para isso.

Apesar de promissor, o F5D perdeu a concorrência que a Marinha estabeleceu, para o Vought F8U Crusader, detentor de características avançadas de vôo, com uma asa pivotada variando o ângulo de incidência para uma melhor aproximação no pouso em porta-aviões.

Assim as cinco aeronaves de pré-serie continuaram servindo a vários programas de teste da Marinha dos EUA até serem transferidas para a NASA nos anos 60, que as utilizou em pesquisas supersônicas e no programa Dyna-SOAR, o envelope dimensional do F5D era muito semelhante a desse STS, e nessa função o F5D simulava as situações de reentrada da nave na Atmosfera em missões abortadas ou em situações de emergência.

Na NASA os F5D foram usados até meados dos anos 70, quando foram finalmente aposentados.

General characteristics

Crew: 1
Length: 53 ft 9¾ in (16.40 m)
Wingspan: 33 ft 6 in (10.21 m)
Height: 14 ft 10 in (4.52 m)
Wing area: 557 ft² (51.7 m²)
Empty weight: 17,444 lb (7,912 kg)
Loaded weight: 24,445 lb (11,088 kg)
Max. takeoff weight: 28,072 lb (12,733 kg)
Powerplant: 1 × Pratt & Whitney J57-P-8 turbojet
Dry thrust: 10,200 lbf (45 kN)
Thrust with afterburner: 16,000 lbf (71 kN)

Performance

Maximum speed: 990 mph (860 kn, 1,590 km/h, Mach 1.48)
Range: 1,335 mi (1,160 nmi, 2,148 km)
Service ceiling: 57,500 ft (17,500 m)
Rate of climb: 20,730 ft/min (105.3 m/s)
Wing loading: 43.9 lb/ft² (214 kg/m²)
Thrust/weight: 0.65

Armament

Guns: 4 × 20 mm (0.79 in) cannon
Rockets: 72 × 2 in (51 mm) rockets
Missiles:
4 × AIM-9 Sidewinder or
2 × AIM-7B Sparrow

O Modelo:

Este extremamente interessante modelo vem do Stahlhart Papercraft, e acreditem meus amigos, ele é gratuito, foi acho que o primeiro modelo que Chris Stahl liberou para download, ele criou um tipo de modelo baseado nos kits da Fiddlers Green, mas com muitos melhoramentos, e excelentes texturas, tornando uma réplica muito convincente. O modelo originalmente está na escala 1/60 (WSAM), mas apenas reduzi para a 1/100 e aí foi só alegria.

O meu modelo representa uma das máquinas da NASA utilizadas no programa Dyna SOAR, esse exemplar em particular foi pilotado por Neil Armstrong (o primeiro homem a pisar na Lua em 1969).