Uma Ajuda ao Amigo Jeff Orcutt – A Little Help for my Friend Jeff Orcutt

Amigos e amigas.

Como nunca me canso de falar, uma das coisas mais legais do papelmodelismo, é a enorme comunidade internacional ao redor desse hobby. Ao longo de todos esses anos fiz muitos bons amigos. Então não custa dar uma divulgada nessa boa causa.

1826411_1411855761.0553

Jeff conhecido também como Hawkman67, habilidoso modder e repainter precisa de ajuda para que sua esposa faça um tratamento dentário de emergência. Se no Brasil esses procedimentos já são caríssimos, imagina nos EUA onde a saúde publica é minima.

Ela precisa de $ 2000,00 o seu seguro saúde paga apenas metade disso ao ano! Então ela e o amigo Jeff criaram um fundo coletivo de ajuda para ela juntar os $ 2000,00. Até o momento eles juntaram $ 340,00.

Por isso estou divulgando essa campanha aqui, para ajudar o meu amigo. As doações podem ser feitas aqui:

http://www.gofundme.com/c7b464

Guys and Gals

As I never tire of talking, one of the coolest things papermodelling is a huge international community around this hobby. Over all these years I made many good friends. So it costs give disclosed in this good cause.

1826411_1411855761.0553

Jeff aka Hawkman67, skilled modder and Repainter needs help for his wife to make a dental emergency. If these procedures in Brazil are already expensive, imagine the US where public health is minimal.

She needs $ 2000.00 your health insurance pays only half of that a year! Then she and the friend Jeff created a collective fund to help her pick up the $ 2,000.00. By the time they joined $ 340.00.

So I’m posting this campaign here to help my friend. Donations can be made here:

http://www.gofundme.com/c7b464

Novo Fórum de Modelismo – Coladores de Plástico

Amigos

Vou pedir licença para divulgar mais uma comunidade de modelismo virtual aqui no blog. A Coladores de Plástico. É um novo fórum de modelismo, com proposta muito parecida com o fórum do CCCP onde a noia do modelismo não importa tanto, e onde o importante de fato é a diversão e os vínculos de amizade.

Captura de tela de 2014-11-05 09:41:06

Fui convidado para moderar uma seção desse fórum, denominada “Outras Áreas” que apesar de como o nome diz, lidar com scratch, modelismo em madeira, em metal e ou outros materiais, é dominada pelo papercraft.

Captura de tela de 2014-11-05 09:39:02

Lembrando que este fórum tem as mais modernas ferramentas de programação ativas,  tendo versão para tablets e smartphones, além de ser 100% compatível com o aplicativo Android de gerenciamento de fóruns “Tapatalk”.

Captura de tela de 2014-11-05 09:42:35

Assim faço o convite para vocês também prestigiarem esse espaço, principalmente os papelmodelistas, pois é um espaço moderado por um papelmodelista.

Não sou de ficar divulgando fóruns aqui, até por que sou muito descrente com as comunidades virtuais de modelismo no Brasil, e conto nos dedos os espaços que participo. Mas como esse é pequeno, e tem uma galera com visões muito parecidas com o que penso sobre o modelismo de uma maneira geral, deixo o convite aqui também.

O endereço para acessar é:

http://www.coladoresdeplastico.com.br/forum/portal.php

 

Após um Longo Período de Ausência. Estamos de Volta!

Bom dia amigos e amigas visitantes desse humilde espaço!

Faz tempo que não atualizo o blog, o que não quer dizer que ando parado, muito pelo contrário, é que tenho priorizado o tempo livre para o modelismo propriamente dito. Esse ano está sendo conturbado, e por “N” razões. Então é natural que haja longos períodos sem atualizações. O que não quer dizer que eu vá parar. Então vou tentar na medida do possível dar uma geral do que ando modelando por aqui…

Modelos finalizados desde setembro:

  1. Douglas AD-4 Skyraider (Coreia)
  2. Douglas AD-4 Skyraider (Navy Gray)
  3. Douglas A-1H Skyraider (VNAF)
  4. Mikoyan Gurevich MiG-17F (Força Aérea de Angola)
  5. Curtiss Hawk 75N (Royal Thai Air Force)
  6. Martin T4M-1 with Floats
  7. USS Macron
  8. Lockheed U-2B (CIA)

Modelos em diferentes estágios de montagem ou paralisados:

  1. Consolidated P2Y3
  2. Lioré et Olivier LeO 201
  3. Ford 4AT (Byrd)
  4. Gloster Gladiator Mk II
  5. Gloster Gladiator Mk II (FAP)
  6. Aichi E11A1 Laura
  7. Lockheed U-2B (USAF)
  8. Lockheed U-2B (NASA)
  9. Douglas TBD-1 Devastator
  10. Gradius Gaiden Project
  11. Fokker Dr I (425/17)
  12. Colonial Movers
  13. Short C23

IMG_20141016_235336384 IMG_20141016_085027550

Alguns projetos como SIG especiais que eu já mencionei aqui que estou trabalhando.

  • Um deles é o Projeto de Longa Duração: Coleção Aerobotes, Hidroaviões e Aeronaves de Flutuadores, vocês podem dar uma olhada no desenvolvimento dessa coleção em língua portuguesa no fórum do Clube do Canhão aqui: http://www.clubedocanhao.com.br/forum3/viewtopic.php?f=49&t=4174 Ou então em língua inglesa no fórum Papermodelers aqui: http://www.papermodelers.com/forum/aviation/26542-my-new-project-long-duration-seaplanes-airboat-collection.html
  • Coleção I Guerra Mundial: Essa é uma ideia nova, esse é o ano do centenário do início da I Guerra Mundial (1914-1918) então a ideia é fazer até 2018 uma coleção orientada de aeronaves usadas na grande guerra. Dialoga com o primeiro projeto, sobre os aerobotes e hidroaviões também. Nesse primeiro módulo o conceito é fazer 10 caças, ou como chamavam na época scouts. São esses: Airco DH-2, Fokker EIII, Sopwitch Triplane, Sopwitch Pup, Sopwitch Camel, Fokker Dr I, Albatross DIII, Fokker DVII, Nieuport 17 e Spad VII. Ainda não comecei nenhuma montagem mas o projeto está apontado no Fórum Coladores de Plástico:  http://www.coladoresdeplastico.com.br/forum/viewtopic.php?f=11&t=345 é um fórum novo e jovem, da qual sou moderador da área de outras modalidades. Publiquei apenas lá para dar uma força, mas as montagens da Grande Guerra aparecerão em outros lugares.

Como podem ver a casa tá cheia. Vou tentar nos próximos dias atualizar as montagens finalizadas. Vamos ver o que sai…

IMG_20140909_214926 IMG_20140909_094608084 IMG_20140909_094546079

O Trabalho do Meu Amigo Krzysztof Wagner

Uma das coisas muito interessantes que o papel modelismo proporciona, por causa da sua portabilidade e o uso intrínseco da informática na concepção de modelos ou na modificação ou ainda na sua impressão doméstica, é a interatividade entre modelistas e designers.

Nas primeiros anos do século XXI o papel modelismo entrou em afirmação na cena do hobby. Num Mundo dominado pelo plastimodelismo, foi natural surgir uma pequena (grande) comunidade internacional e se conhecer de nome, conversar, compartilhar idéias com pessoas do Mundo todo.

Em 2006 conheci pelo fórum Zealot. o amigo Krzysztof Wagner, um grande designer Polonês de papermodels, um verdadeiro artista, pois além de ser excelente designer, ainda pinta a mão as capas dos seus modelos que são vendidos na Ecardmodels. Os modelos do Krzychu74 como também ele é conhecido, primam pelo realismo nas texturas e nos detalhes, além de uma linha de aeronaves “esotéricas” (os meus favoritos são o Mitsubishi 1MT1N e o IAe 24 Calquin) ele tem dedicado-se a uma bela linha de navios que também está a venda na Ecardmodels.

calquin_2 k74_F6FHELLCAT_COVER

californian_4 californian_coverAlém de todas essas coisas legais Krzystof ainda mantém um blog o “Z notatnika PGiN.” onde ele vai mostrando as fases dos desenhos de seus atuais projetos.

Captura de tela de 2014-08-12 16:26:30

http://mikromodele.blogspot.com.br/

Além disso o designer mantém uma página no Facebook que é constantemente atualizada com os seus projetos e que tem muita possibilidade de interatividade

https://www.facebook.com/pages/Paper-Models-Design/137918202947434

Uma coisa legal tenho que falar sobre o Krzychu74, foi ele que me “apresentou” a escala 1/100, tive a honra de testar dois modelos dele na escala 1/100. o avião Vickers Jockey, o Fokker V1 “Flöh” e a bomba voadora V-1, depois disso nunca mais parei de modelar na escala 1/100. 😉

17158_1093444674704_7260716_n 17158_1093413753931_5001802_n 10391537_1065495295987_873155_nAté a próxima amigos!  :)

 

Obrigado Mais Uma Vez: POW no Papermodelers

Fico muito faceiro com essas coisas! Mais uma vez um modelo de  montagem minha é um POW (picture of week – fotografia da semana) no grande fórum papermoders.com,  dessa vez foi o Heinkel He-59 da Murph’s Models, obrigado pela escolha!

Captura de tela de 2014-07-21 09:54:15

Um preview: Kawanish H6K4 “Mavis” e Isuzu TX 40 Type 89 na escala 1/100

Mais um projeto  sendo constituído para a minha coleção japonesa  da II Guerra Mundial, dessa vez é o imponente Kawanishi H6K Mavis, hidro-aviã de patrulha da II Guerra Mundial.  Com o codinome aliado “Mavis” o Kawanishi H6K era conhecido também pelo serviço militar nipônico como “Hidroavião de Longo Alcance Type 97″ – 九七式大型飛行艇

H6K-Type97-Mavis-f

A idéia é realizar esse teste para o amigo Aaron Murphy da Murph’s Models, o modelo original está na escala 1/63 o que o deixa muito grande, até mesmo na 1/100 o modelo já é grande o suficiente, com envergadura de 40 cm. Aqui vemos a construção do primeiro grande subconjunto com as asas finalizadas.

Como o modelo tem trem de pouso de praia, peguei um caminhão Isuzu TX 40 Type 89 da Scissors and Planes já na 1/100 e montei com a idéia de fazê-lo rebocando  o Mavis quando este estiver pronto. O caminhão já está montado como vocês podem ver nesta galeria abaixo.

Espero em breve ter novidades a respeito dessa montagem que pretendo terminar em duas semanas mais ou menos.

Algumas Novidades na Bancada (algumas nem tão novas assim…)

Sempre me perguntam o que eu ando montando, então vamos dar uma revisada em cima do que está na bancada em montagem, ou aguardando a vez para uma retomada… 😉 Bem eis o que temos no cardápio :)

Kyushu J7W-1 “Shinden” – Beta teste para a Murphmodels, acredito que em breve devo terminar esse que é um dos mais curiosos aviões projetados durante a II Guerra Mundial.

10341520_10200907946499293_540162577037093022_n

Kyushu K11W1 “Shiragiku” – Modelo desenhado pelo meu amigo Ned Reif, bastante interessante, pois retrata um treinador japones da guerra raro de ser ver em escala, e por ter sido desenhado no Metasequoia, Pepakura, e finalizado no Inkscape

10389476_10200903523068710_6106765636495451069_n

Gloster Gladiator Mk II – Models by Marek (Repaint) – Outro que anda parado, mas espero em breve retomar é o Gloster Gladiator do Marek, eu o repintei no incomun esquema de três cores de camuflagem, usado efemeramente pela RAF em 1940, em um dos esquadrões da RAF que ainda  utilizavam o tipo durante a batalha da Inglaterra.

988457_10200743374065085_1700092330187231463_n

Aichi E11A1 “Laura” – Esse é novela, já se arrasta há alguns meses, mas espero terminar em breve, ando desmotivado em terminar a catapulta dele na 1/100 (a redução de um modelo da GPM na escala 1/33)

1185493_10200557312773669_1588771931_n

Consolidated P2Y Ranger –  Outro que em breve deve ser retomado, pois gosto muito desse avião, e o modelo é um semi scratch da minha autoria, como o B2M.

1558601_10200282571865318_427152353_n

Lord British – Fazia horas que não fazia nada na área do Sci-Fi, pois estou fazendo as quatro naves  do jogo de Playstation 1 Gradius Gaiden. A Jade Knight está feita já, e atualmente a Lord British está no meio do caminho. Em breve devo retomar.

1975132_10200683222801341_2410333428647707941_n

Outros modelos que encontram-se parados esperando a vez para serem finalizados (Mais de 50% do modelo concluso:

Ford Trimotor – Almirante Byrd – Fiddlers Green

Lioré et Olivier LeO-213 – Monseiur M

Tem várias outras coisas cortadas ou em vias de serem assuntos de bancada, mas tem pouca coisa para justificarem uma comunicação, vou deixar elas avançarem um pouco mais e aí sim posto aqui. 😉

Zveno Aviamatka o Avião!

Bem meus amigos!

Nestes dois ultimos meses (sem considerar janeiro em que trabalhei em dos protótipos do TB-3 para o Aaron) trabalhei no famoso avião composite soviético Zveno, esse primeiro post vamos falar um pouco sobre a história desse incrível projeto da década de 1930 realizado na União Soviética…

Em 1925, a Força Aérea Soviética solicitou TsAGI o desenho de um bombardeiro pesado com potência de motor de 2.000 HP e trem de pouso com rodas ou flutuadores. Após diversos estudos esse departamento solicitou ao Tupolev OKB um projeto começando o trabalho de design em 1926 com os requisitos operacionais do governo finalizados em 1929 . O Tupolev TB-1 foi tomado como base para o desenho e a aeronave foi inicialmente alimentada por motores Curtiss V-1570 Conqueror gerando 600 HP cada um, com a intenção de a mudança para Mikulin M-17 (motor BMW VI modificado) na produção. O projeto foi aprovado em 21 de março de 1930 e o primeiro protótipo foi concluído em 31 de outubro de 1930. O avião voou em 22 de dezembro 1930, com Mikhail Gromov nos controles e com trem de pouso de skis. Em 20 de fevereiro de 1931, a Força Aérea Soviética aprovou a produção em massa de ANT-6 com motores M-17. O protótipo foi reequipado com motores BMW Viz 500 s de 730 HP cada, radiadores maiores, e hélices de madeira de passo fixo de projeto do TsAGI. O trem de pouco com apenas um pneu foi considerado fraco, sendo substituido por um com um par de pneus em cada lado.

Imagem

Caracteristicas.

A TB-3 era um avião todo em metal de construção em aço. O airframe era composto de vigas de seção tipo V cobertas com revestimento metálico ondulado não estressado variando 0,3-0,8 mm de espessura. As ondulações tinham 13 mm de profundidade e 50 milímetros de distância. A asa cantiléver apoiada por quatro seções em forma de tubo. Qualquer parte da aeronave poderia ser pisada com sapatos macios, sem danificar o revestimento, e os bordos de ataque das asas desciam para formar passarelas para manutenção do motor. Os controles eram do tipo antigo com cabos atuadores com uma incidência variável no leme horizontal e um sistema de compensação de emergência em caso de falhas de motor em um lado. O trem de pouso não era equipado com freios. Os tanques de combustível não tem vazamento de proteção, embora os motores tinha um sistema de extinção de incêndios interno. Os motores M-17 foram ajustados para fornecer uma gama máxima teórica de 3.250 km (1.750 milhas náuticas; 2.020 km), Armamento defensivo consistia de 6 metralhadoras PV-1 em três torres – uma no nariz e dois pares em cima do meio da fuselagem. Mais tarde mudou-se variantes de uma das torres da fuselagem superior para a ré da barbatana caudal.

Zoom in (real dimensions: 553 x 352)Imagem

Imagem

Vida Operacional.

A TB-3 foi utilizado operacionalmente durante a Batalha de Khalkhin Gol e na Guerra de Inverno com a Finlândia. Apesar de ter sido oficialmente retirado de serviço em 1939, no início da Grande Guerra Patriótica, em 22 de junho de 1941, a Força Aérea Soviética teve 516 TB-3s operacionais, com um adicional de 25 operados pela Marinha soviética. Estacionados longe fronteira ocidental da URSS, os TB-3 escaparam de perdas catastróficas durante os primeiros ataques aéreos alemães, após a qual TB-3 do terceiro TBAP (Regimento de Bombardeiro Pesado) começou a voar missões noturnas, em 23 de junho. Escassez de aviões de combate prontos também exigiu a utilização diurna de TB-3 sem escolta de caças e neste papel os bombardeiros, operando a altitudes baixas e médias, sofreu pesadas perdas para combatentes inimigos e fogo anti-aéreo. Em agosto de 1941, os TB-3s compunham cerca de 25% da força de bombardeiros soviéticos e, operado pela elite tripulações da Força Aérea, estavam voando até três missões de combate por noite. A aeronave participou de todas as grandes batalhas da guerra até 1943, incluindo o primeira batalha de Smolensk, a Batalha de Moscou, a Batalha de Stalingrado, o cerco de Leningrado, e a Batalha de Kursk. Em 1º de julho de 1945, a Força Aérea Soviética ainda tinha dez TB-3s no ativo. O TB-3 também serviu extensivamente como transporte de carga e de pára-quedistas, podendo transportar até 35 soldados nesta função. Nos primeiros cinco meses da guerra, a aeronave transportou 2.797 toneladas de carga e 2.300 passageiros/soldados. O TB-3 também foi utilizado em vários projetos especiais como uma nave-mãe com caças parasitas (Projeto Zveno) e para o transporte de tanques leves T-27, T-37 e T-38. Em 1 de Agosto de 1941, um par de TB-3s em na configuração Zveno-SPB, cada um com dois Polikarpov I-16 que levavam um par de bombas de 250 kg, destruiu um depósito de petróleo sem perdas na Romênia. Em 11 de agosto e 13 de Agosto de 1941, Zveno-SPB danificou com sucesso a Ponte Rei Carol I sobre o Danúbio na Romênia. As operações Zveno terminaram no outono de 1942, devido à alta vulnerabilidade das nave-mães. Em reconhecimento do papel TB-3 desempenhou durante a guerra, três aeronaves foram incluídas no primeiro desfile de ar do pós-guerra em 18 de Junho de 1945, e uma delas faz parte do acervo do Museu Central da Força Aérea Russa em Monino, sendo o ultimo exemplar remanescente em todo o Mundo deste que foi o mais avançado bombardeiro militar de sua época, sem equivalentes em outras nações até 1937.

Zoom in (real dimensions: 555 x 336)Imagem

Imagem

O Projeto Zveno

Zveno (em russo: Звено, elo da cadeia ou uma unidade militar de vôo) era um conceito de aeronaves parasita desenvolvida na União Soviética durante a década de 1930. Ela consistia de um TB-1 Tupolev ou um Tupolev TB-3 bombardeiros pesados atuando como uma nave-mãe transportando de dois a cinco caças. Dependendo da variante Zveno, os caças ou eram lançados da nave-mãe ou encaixados em vôo, e eles poderiam reabastecer-se do bombardeiro. A versão definitiva e operacional foi a Zveno-SPB usando um TB-3 e dois Polikarpov I-16, cada um armado com duas bombas de 250 kg (550 libras), foi usado operacionalmente com bons resultados contra alvos estratégicos na Roménia durante as primeiras etapas da guerra no fronte oriental. O mesmo esquadrão depois também realizou um ataque tático contra uma ponte sobre o rio Dneiper que tinha sido capturado por forças alemãs de vanguarda.

Imagem

Em junho de 1931, Vladimir Sergeyevich Vakhmistrov da NII VVS ( Nauchno- Issledovatel’skiy Institut Voyenno – Vozdushnykh Sil – Instituto de Testes Científicos da Força Aérea ) começou a trabalhar em combinações de caças rigidamente fixadas a aeronaves de bombardeiro pesado . O sistema foi concebido para servir a vários propósitos :

Uso de caças fora de seu alcance convencional
Defesa de bombardeiros atuando com caças de escolta
Uso de caças para bombardeio de mergulho com bombas mais pesadas do que eles seriam capazes de decolar com a sua própria força motriz
Usando o impulso adicional da aeronave parasita para obter propulsão extra para o bombardeiro.

Em todas as configurações Zveno , todos os aviões eram pilotados e todos tinham seus motores funcionando – esperava-se que o impulso combinado seria maior do que compensar o peso e realmente melhorar o desempenho da nave-mãe em comparação com bombardeiros convencionais Os caças eram firmemente fixados através armações de metal em forma de pirâmide , com travas de pistão controladas pelos pilotos de caça (em Zveno -1, as travas dianteiras eram controladas pela tripulação do bombardeiro , enquanto a trava de retorno era controlado pelo piloto , acabou sendo modificado para controle de todo o sistema pelo piloto no próxima versão ) . O projeto original incluía linhas de combustível umbilical que permitia os caças a usarem o combustível do bombardeiro enquanto estivesse com o motor em funcionamento, embora este arranjo não foi totalmente implementado na prática.

Zoom in (real dimensions: 800 x 264)Imagem

O primeiro vôo bem sucedido de Zveno -1 usando um Tupolev TB- 1 como nave-mãe e dois caças Tupolev I- 4 montados em cima das asas ocorreu em 3 de dezembro de 1931. Um erro na seqüência de abrir as travas pela tripulação do bombardeiro resultou em um dos caças separado prematuramente , mas o TB- 1 com um I-4 ligado a uma das asas permaneceu em vôo controlado , e o segundo caça logo ancorou novamente sem incidentes. Depois que o controle de trava foi totalmente movido para os caças , o procedimento normal de lançamento consistia os pilotos abrirem o bloqueio de cauda e , em seguida, puxando a alavanca de controle para abrir as travas da frente e separar-se do bombardeiro. Como previsto, o presença de caças ancorados teve um impacto mínimo no desempenho da nave-mãe , e Zveno -2: Tupolev TB- 3 carregando três caças Polikarpov I- 5 era tratado da mesma forma um bombardeiro comum. Para montar a aeronave sobre as asas , eles eram empurrados para cima com rampas especiais, mas o eixo da aeronave tinha de ser levantada na parte superior da fuselagem com a mão. Isso era tão complicado que a linha central do I-5 tornou-se um elemento permanente no topo do Zveno -2 TB -3 e nunca foi desconectado. Em um ponto, a linha central I-5 , ainda com um piloto no controles para operar o motor, tinha as asas e as superfícies de cauda retirada e foi usado apenas como quinto motor para a nave-mãe bombardeiro .

Zoom in (real dimensions: 630 x 443)Imagem

O Zveno – 3, em que um TB- 3 tinha dois caças Grigorovich IZ sob as asas apresentou um desafio diferente – o IZ era um monoplano com trem de pouso fixo, que tocava o chão , enquanto ele ficava suspenso sob a nave-mãe . Para acomodar-se contra terrenos irregulares durante pousos , os caças foram ligados através de uma estrutura basculante, que permitia o movimento vertical em relação ao TB – 3 . No entanto, imediatamente após a decolagem os pilotos dos IZ tinham que empurrar para a frente as varas de controle para bloquear o quadro na posição inferior fixo – se o caça-bombardeiro não era rígido em vôo, o bombardeiro se tornava extremamente difícil de controlar. Durante um dos voos de teste , o piloto de um IZ Korotkov incorretamente ativou a manobra de bloqueio e a sustentação gerada por seu caça quebrou a estrutura de encaixe e colidiu-o para a parte inferior da asa da nave-mãe . O TB-3 efetou um pouso de emergência com ambos os caças ainda ligados , a velocidade de pouso lento do TB- 3 resultou em perda de sustentação para o IZ que caiu, matando Korotkov . Este foi o acidente mais grave da todo programa Zveno apesar da complexidade inerente de transportar até cinco aeronaves , realizando lançamentos em pleno ar e atracações , e danos aos motherships por hélices e trens de pouso dos lutadores . Os testes com diversas combinações de aviões determinou que as configurações montadas no topo apresentavam maior dificuldade de encaixe devido ao fluxo de ar turbulento saindo asas do Bombardeiro Mothership . O problema da ancoragem embaixo das asas foi resolvido com o surgimento do caça Polikarpov I-16 com trem de pouso retrátil . Isto permitiu o uso das mesmas estruturas de montagem rígidos como para uma aeronave montado no topo.

Zoom in (real dimensions: 569 x 290)Imagem

A nave-mãe e seus caças foram oficialmente apelidado de Circo do Vakhmistrov ( Цирк Вахмистрова ).

Configurações:

Zveno-1
Tupolev TB-1 and two Tupolev I-4 on top of the wings. The normally sesquiplane I-4s had the bottom wings removed (with no ill effect on flight characteristics) due to clearance problems with TB-1 propellers.[3] First flight 3 December 1931. The TB-1 was piloted by A. I. Zalevskiy and A. R. Sharapov, the I-4s were piloted by V. P. Chkalov and A. F. Anisimov. Vakhmistrov himself flew in the front gunner’s turret.

Zveno-1a
TB-1 and two Polikarpov I-5 on of the wings, first flight September 1933. The TB-1 was piloted by Stefanovskiy, the I-5s were piloted by Kokkinaki and Grozd.

Zveno-2
Tupolev TB-3 and three I-5, the third aircraft was attached over the fuselage. First flight August 1934. The TB-3 was piloted by Zalevskiy, the I-5s were piloted by Altynov, Suprun, and Suzi.

Zveno-3
TB-3 and two Grigorovich I-Z under the wings.

Zveno-5
TB-3 and a single I-Z under the fuselage which attached and detached in the air as there was not enough ground clearance for the fighter. On 23 March 1935, TB-3 piloted by Stefanovskiy and I-Z with Stepanchenok at the controls performed the world’s first mid-air docking between two aircraft.

Zveno-6
TB-3 and two Polikarpov I-16 which were attached on the ground with the landing gear retracted. First flight August 1935, with the TB-3 piloted by Stefanovskiy, and the I-16s piloted by Budakov and Nikashin. I-16s could only detach, not re-attach, in flight

Zveno-7
TB-3 and two I-16s, all docked in the air. First flight November 1939, pilots Stefanovskiy, Nyukhtikov, and Suprun. Fighters could re-attach in flight due to two retractable trapezes, one under each wing. Docking, while possible, was deemed too difficult to be practical.

Aviamatka (Airborne mothership)
TB-3 with two I-16s under the wings, two I-5s on top of the wings, and one I-Z attached under the fuselage in mid-air. First flight 20 November 1935. The TB-3 was piloted by Zalevskiy, the fighters piloted by Stefanovskiy, Nikashin, Altynov, Suprun, and Stepanchenok. Vakhmistrov also worked on a larger Aviamatka with eight I-16s. In this scheme, the TB-3 would get airborne with two I-16s under the wings and the remaining six would attach in the air. Not all eight would attach at one time, but would rotate in and out during the flight, detaching and re-attaching as needed. These six aircraft could also refuel from the mothership. Although a few successful mid-air dockings and fuel transfers were performed in 1938 (Zveno 6 and 7), the eight-fighter configuration was never completed.

SPB (Sostavnoi Pikiruyuschiy Bombardirovschik – Combined Dive Bomber)
TB-3-4AM-34FRN and two I-16s under the wings, each armed with a pair of 250 kg (550 lb) FAB-250 bombs. Used operationally in World War II with good success.

Specifications (TB-3-4M-17F, 1934 model)
Tupolev TB-3

General characteristics

Crew: Four
Length: 24.4 m (80 ft 1 in)
Wingspan: 41.80 m (137 ft 2 in)
Height: 8.50 m (27 ft 11 in)
Wing area: 234.5 m2 (2,524 ft2)
Empty weight: 11,200 kg (24,690 lb)
Loaded weight: 17,200 kg (37,920 lb)
Max. takeoff weight: 19,300 kg (42,550 lb)
Powerplant: 4 × Mikulin M-17F V12 engine, 525 kW (705 hp)[11] each

Performance

Maximum speed: 212 km/h (114 knots, 129 mph) at 3,000 metres (9,800 ft)
Range: 2,000 km (1,080 NM, 1,240 mi)
Service ceiling: 4800 m (15,750 ft)
Rate of climb: 1.25 m/s (246 ft/min)
Wing loading: 73 kg/m² (15 lb/ft²)
Power/mass: 0.15 kW/kg (0.09 hp/lb)
Time to altitude: 5 min to 1,000 metres (3,300 ft), 29 min to 3,000 metres (9,800 ft)
Best turn time: 40 seconds
Takeoff roll: 300 metres (980 ft)
Landing roll: 330 metres (1,080 ft)

Armament

Guns: 5–8× 7.62 mm DA machine guns, 100 63-round magazines
Bombs: Up to 2,000 kilograms (4,400 lb) of bombs

Zoom in (real dimensions: 429 x 600)Imagem

Fontes: Wikipedia

Retrospectiva Modelista de 2013

Olá amigos!

Como de praxe no último dia do ano eu publico a retrospectiva modelista. 2013 foi um ano bom para o papel modelismo, espero que vocês se divirtam acompanhando a epopéia

OLYMPUS DIGITAL CAMERA IMG_1182 IMG_0183_zps7081f925 IMG_0008_zps8df7f8a7O link para visualizar a retrospectiva é esse aqui: Retrospectiva Modelista

 

Um feliz 2014!