Antologia da Aviação Naval Vol. 3 – Yokosuka E14Y1 “Gleen”

O modelo que apresento neste 3º volume é um assunto muito interessante, pois representa um tipo de aeronave usada exclusivamente pela Marinha Imperial Japonesa durante os anos da II Guerra Mundial (1939-1945) e que detém a singularidade de ser a única máquina a ter bombardeado o território continental dos Estados Unidos em 1942.

O Avião:

Esse bichano relativamente desconhecido, foi um dos muitos hidro-aviões japoneses projetados para serem lançados de submarinos (especificamente os da classe B1 (I-15), este pequeno avião era todo desmontado ficando em um compartimento na torre dessa classe de submarino ( que tinha 108 metros de comprimento e pesava 2600 toneladas – um dos maiores operados pelo Japão até a introdução da classe I-400).

A Marinha Imperial Japonesa, ao contrário de outras marinhas usaram extensivamente o conceito do submarino equipado com aviões de reconhecimento na II Guerra Mundial, sendo que seus submarinos usarem esse tipo de Hidroavião pra vários tipos de reconhecimentos furtivos, missões secretas e até mesmo recolhimento de agentes. A mais famosa ação do E14Y foi o bombardeiro de uma floresta no Oregon em 1942 na tentativa de criar um incêndio florestal, esta ocasião foi a única vez que a parte continental dos Estados Unidos sofreu um bombardeiro aéreo em sua história (lançado pelo submarino I-25).

No entanto, antes disso o Gleen do submarino I-36 foi utilizado para reconhecimento furtivo horas antes do ataque a Pearl Harbor, na tentativa de localizar os porta-aviões da forta do pacífico, em Pearl ou nas proximidades.

Este pequeno monoplano de dois lugares, foi desenvolvido em 1938 para substituir os biplanos E9W que serviam a bordo de submarinos, ele era totalmente desmontável, sendo que em apenas 45 minutos com treinamento era possível montar e desmontar as asas, flutuadores e seção de cauda, foram produzidos  144 exemplares…

O Modelo:

A minha representação do Yokosuka E14Y na escala 1/100 é praticamente um trabalho artesanal, pois o modelo é um scratchbuilding desenhado a mão e vetorizado no Corel Draw X4. Na verdade apenas as peças maiores foram vetorizadas. As menores foram construídas na unha. Usei nesse modelo uma série de técnicas não convencionais ao universo do papelmodelismo, mas que no geral, me agradaram bastante. Como reconhecimento, o modelo foi o destaque da semana e capa da comunidade papermodelers.com em setembro do ano passado.

O modelo representa o avião lançado pelo submarino I-25 para realizar um reconhecimento furtivo noturno sobre a baía de Pearl Harbor, horas antes do ataque japonês aquela base norte-americana.

Mais um finalizado: Boeing P-26 Peashooter 1/100

Se lembram daquele post de alguns meses atrás que eu listei os projetos inacabados? Pois então, matei mais um que estava na lista, o clássico Boeing P-26 Peashooter, um dos meus aviões favoritos dos anos 30.

Esse modelo foi feito para o GB Especial do Panzermodel Forum “Pearl Harbor” e também foi replicado na seção “Papyrus Nostrum” no fórum do Clube do Canhão, aqui voces encontram todo o desenvolvimento da montagem.

O Boeing P-26 e a sua respectiva versão de exportação, o Model 281, representa um anacronismo dentre a nova safra de aviões militares que estavam surgindo nos anos 30.  Principalmente por ser um monoplano com asas tensionadas através de cabos de aço e pelo trem de pouso fixo. Foi até o surgimento de caças como o P-36 e o P-35 nos EUA o único avião de caça “moderno” do USAAC. Apesar de manobrável e adorado pelos seus pilotos (que o apelidaram de “peashooter” – disparador de ervilhas), em combate o P-26, não teve grande êxito, sendo  utilizado pelos Chineses no seu longo conflito com os Japoneses na segunda metade da década de 30 e pelo Corpo Aéreo do Exercito Filipino em 1941 contra os caças da Marinha Imperial Japonesa.

A versão representada aqui é de um dos aviões do 18th PG do USAAC baseadas no campo Wheeler ao tempo do ataque a Pearl Harbor, os P-26 estavam sendo substituidos pelos P-40, já estandp nessa ocasião relegados a funções secundárias como treinamento, ligação e instrução de terra.

O modelo é do grande designer polonês Marek  Pacinsky, tem algumas pequenas falhas, mas fica uma réplica muito bonita, original e na escala 1/50, eu que o reduzi para 1/100. O rigging é feito com fios metálicos rigidos de cirurgia.

Até a próxima pessoas!!!